Em Busca da Verdade...
Capítulo 5

O Segundo Plano Cristão- O Messias - apartir de Jesus

PARTE 4 -

Os Deveres dos Servos Cristãos

Capítulos

0- Introdução

1-Antes da Criação do Mundo

2- Período da Criação

3-Classificação dos anjos em relação aos povos da Terra

4-O Primeiro plano cristão - de Adão a Jesus (Dividido em 10 partes) leia as partes abaixo:

4.1-Adão o profeta

4.2- Adão a Noé

4.3- Primeiro pacto: Deus e Noé

4.4- Segundo pacto: Deus e Abrão

4.5-Terceiro pacto: Deus e Moises

4.6- Quarto pacto: Deus e Davi

4.7- Meios de comunicação

4.8- Análise do Profeta Isaias

4.9- Análise do Profeta Jeremias

4.10- Analise do Profeta Zacarias

5-O Segundo Plano Cristão- O Messias - apartir de Jesus (em 11 partes)

5.1- Jesus, o primeiro a ressuscitar dos mortos

5.2- Significado especial da palavra Vida e Morte

5.3- Cada um é responsável por seus atos

5.4- Os deveres dos servos Cristãos

5.5-Advertência às Igrejas Cristãs

5.6- Advertência aos Cristãos, para com o mundo espiritual

5.7- Relacionamento dos dois Adãos

5.8- Melquisedeque uma simples figura de Cristo

5.9- Jesus dá o relacionamento da família comforme quer

5.10- Classificação dos espíritos através do nascimento

5.11 Predições da vinda de Cristo nos últimos tempos

6-Juizo Final

7- Fim do Planeta Terra

 

 

 Ao lermos este capítulo  apenas como uma leitura simples, não  se percebe e, até, talvez  não se entenda  o sentido do sofrimento humano, sem uma razão específica.   Nem se encontra  justificativa para isso. A vida é tão curta à partir do nascimento até a  morte, (às vezes prematura) que nos deixa indignados, sem ver uma razão, em certos casos, para tanto sofrimento .  

Num retrospecto de tudo que lemos até então, pode-se ver que existe uma ligação estreita entre o que S.  Pedro nesta Epístola que leremos abaixo, nos quis dizer com o “sofrer sem ao menos dever”, ou, quando se sofre mesmo que não se esteja em pecado.     Façamos uma comparação com a vida citada neste trecho do versículo(21 de I  S. Pedro) onde ele menciona o próprio Cristo como exemplo.

Dentro desse pensamento,  podemos começar com Salmos de Davi, cap. 22  vers.  1  a  19  e  cap.  69    vers.   16  a  21 ( transcrito abaixo),   onde ele, Davi , prevê  seu próprio resgate em pecado, triunfando em Cristo -  padecendo injustamente na sua vida .  Mas,  -  resgatando  seus pecados cometidos lá atrás, em sua vida como Davi.      Pode-se ainda citar um pequeno trecho do capítulo 15    vers  45  a  51, de I aos Corintios,  o qual será objeto de análise  na íntegra, mais à frente.   Desta forma, penetra-se profundamente neste espaço de tempo, do princípio até hoje, onde muita coisa que não parece ter sentido, passa a ter.   Como por exemplo,  sofrer injustamente.      

Mais uma vez não faremos nenhuma introdução dos textos bíblicos pois todos estamos tratando do mesmo assunto: A injustiça  cometida sem uma justa causa aparentemente.

 

I S. Pedro - Cap. 2 - Vers. 8 a 22   ( 19 )  

 

8  E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados.

9  Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;

10  vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.

11  Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma,

12  tendo o vosso viver honesto entre os gentios, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no Dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem.

13  Sujeitai-vos, pois, a toda ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior;

14  quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores e para louvor dos que fazem o bem.

15  Porque assim é a vontade de Deus, que, fazendo o bem, tapeis a boca à ignorância dos homens loucos;

16  como livres e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus.

17  Honrai a todos. Amai a fraternidade. Temei a Deus. Honrai o rei.

18  Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor aos senhores, não somente aos bons e humanos, mas também aos maus;

19  Porque é coisa agradável que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente.

20  Porque que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas, se fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus.

21  Porque para isto sois chamados, pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas,

22  O qual não cometeu pecado, nem na sua boca se achou engano,

 

Salmos - Cap. 22 - Vers. 15 a 19

 

15  A minha força se secou como um caco, e a língua se me pega ao paladar; e me puseste no pó da morte.

16  Pois me rodearam cães; o ajuntamento de malfeitores me cercou; traspassaram-me as mãos e os pés.

17  Poderia contar todos os meus ossos; eles vêem e me contemplam.

18  Repartem entre si as minhas vestes e lançam sortes sobre a minha túnica.

19  Mas tu, SENHOR, não te alongues de mim; força minha, apressa-te em socorrer-me.

 

Salmos - Cap. 69 – Vers. 16 a  21

 

16  Ouve-me, SENHOR, pois boa é a tua misericórdia; olha para mim segundo a tua muitíssima piedade.

17  E não escondas o teu rosto do teu servo, porque estou angustiado; ouve-me depressa.

18  Aproxima-te da minha alma, e resgata-a; livra-me por causa dos meus inimigos.

19  Bem conheces a minha afronta, e a minha vergonha, e a minha confusão; diante de ti estão todos os meus adversários.

20  Afrontas me quebrantaram o coração, e estou fraquíssimo; esperei por alguém que tivesse compaixão, mas não houve nenhum; e por consoladores, mas não os achei.

21  Deram-me fel por mantimento, e na minha sede me deram a beber vinagre.

 

 I  S. Pedro - Cap. 3 - Vers. 8 a 22 (17)

 

8  E, finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis,

9  não tornando mal por mal ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo, sabendo que para isto fostes chamados, para que, por herança, alcanceis a bênção.

10  Porque quem quer amar a vida e ver os dias bons, refreie a sua língua do mal, e os seus lábios não falem engano;

11  aparte-se do mal e faça o bem; busque a paz e siga-a.

12  Porque os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos, atentos às suas orações; mas o rosto do Senhor é contra os que fazem males.

13  E qual é aquele que vos fará mal, se fordes zelosos do bem?

14  Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis;

15  Antes, santificai a Cristo, como Senhor, em vosso coração; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós,

16  tendo uma boa consciência, para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, fiquem confundidos os que blasfemam do vosso bom procedimento em Cristo,

17  Porque melhor é que padeçais fazendo o bem (se a vontade de Deus assim o quer) do que fazendo o mal.

18  Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito,

19  No qual também foi e pregou aos espíritos em prisão,

20  Os quais em outro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água,

21  Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo;

22  O qual está à destra (direita) de Deus, tendo subido ao céu, havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potências.

Os versículos 18 a 20 falam mais uma vez  que Cristo padeceu uma vez pelos pecados, ou seja, na vida que viveu como Jesus ele não pecou, porém ele padeceu pelos seus outros pecados, o justo pelo injusto, para levar-nos a Deus, morrendo de morte de cruz na carne(18), mas vivificado pelo Espírito,  purificando seu espírito, pregando também aos espíritos dos mortos aqueles que estão em prisão de alma(19), e que  em outro tempo quando estavam preparando a arca nos dias de Noé  foram rebeldes, porém não se converteram, sendo peregrinos na Terra até nossos dias pela bondade de Deus, que não quer que ninguém se perca mas que todos venham a se arrepender.

 

Aos Filipenses - Cap. 3 - Vers. 7 a 10 –

 

7  Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.

8  E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas e as considero como esterco, para que possa ganhar a Cristo

9  E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus, pela fé;

10  Para conhecê-lo, e a virtude da sua ressurreição, e a comunicação de suas aflições, sendo feito conforme a sua morte;

 

 

Obs:  Verifica-se que a justificativa da Gloria de Jesus e a virtude da sua ressureição foi feito segundo a justiça de Deus, morte essa em pecado, expelhada na vida de Davi; da para perceber a justiça do Senhor Deus que nem o seu Filho poupou!

 

Romanos = 8: 32,

 

 

32  Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes, o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas?

 

 

Aos Filipenses – Cap.3 - Vers. 14

 

12  Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.

 

I S. Pedro - Cap. 4 – Vers 1 a 11 ( 7 )

 

1  Ora, pois, que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também vós com este pensamento: que aquele que padeceu na carne cessou do pecado,

2  para que, no tempo que vos resta na carne, não vivais mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus.

3  Porque é bastante que, no tempo passado da vida, fizéssemos a vontade dos gentios, andando em dissoluções, concupiscências, borracheiras, glutonarias, bebedices e abomináveis idolatrias;

4  E acham estranho não correrdes com eles no mesmo desenfreamento de dissolução, blasfemando de vós,

5  Os quais hão de dar conta ao que está preparado para julgar os vivos e os mortos;

6  Porque, por isto, foi pregado o evangelho também aos mortos, para que, na verdade, fossem julgados segundo os homens, na carne, mas vivessem segundo Deus, em espírito.

7  E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, sede sóbrios e vigiai em oração.

8  Mas, sobretudo, tende ardente caridade uns para com os outros, porque a caridade cobrirá a multidão de pecados,

9  Sendo hospitaleiros uns para os outros, sem murmurações.

10  Cada um administre aos outros o dom como o recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.

11  Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá, para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e o poder para todo o sempre. Amém!

 

Nesta passagem que leremos abaixo, temos uma exortação, sobre dar esmolas e a orar, para uma orientação aos cristãos, pois muitos tendem a se vangloriar das suas ações para impressionar os outros, fugindo do objetivo tanto da caridade e como devemos conversar com Deus.

S. Mateus - Cap. 6 - Vers. 1 a 18

 

1  Guardai-vos de fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus.

2  Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

3  Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita,

4  para que a tua esmola seja dada ocultamente, e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.

5  E, quando orares, não sejas como os hipócritas, pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

6  Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará.

7  E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que, por muito falarem, serão ouvidos.

8  Não vos assemelheis, pois, a eles, porque vosso Pai sabe o que vos é necessário antes de vós lho pedirdes.

9  Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome.

10  Venha o teu Reino. Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu.

11  O pão nosso de cada dia dá-nos hoje.

12  Perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores.

13  E não nos induzas à tentação, mas livra-nos do mal; porque teu é o Reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém!

14  Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celestial vos perdoará a vós.

15  Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.

16  E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas, porque desfiguram o rosto, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.

17  Porém tu, quando jejuares, unge a cabeça e lava o rosto,

18  Para não pareceres aos homens que jejuas, mas sim a teu Pai, que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará.

 

II  S. Pedro - Cap. 1 - Vers. 3 a 11

 

3  Visto como o seu divino poder nos deu tudo o que diz respeito à vida e piedade, pelo conhecimento daquele que nos chamou por sua glória e virtude,

4  pelas quais ele nos tem dado grandíssimas e preciosas promessas, para que por elas fiqueis participantes da natureza divina, havendo escapado da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo,

5  e vós também, pondo nisto mesmo toda a diligência, acrescentai à vossa fé a virtude, e à virtude, a ciência,

6  e à ciência, a temperança, e à temperança, a paciência, e à paciência, a piedade,

7  e à piedade, o amor fraternal, e ao amor fraternal, a caridade.

8  Porque, se em vós houver e aumentarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo.

9  Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados.

10  Portanto, irmãos, procurai fazer cada vez mais firme a vossa vocação e eleição; porque, fazendo isto, nunca jamais tropeçareis.

11  Porque assim vos será amplamente concedida a entrada no Reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

 

Aos Romanos – Cap. 5  vers.  14

 

14  No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir.

Neste versículo 14 claramente entendemos que a Morte é a transgressão da lei(pecado), e que Adão teria que ter vencido e não pecado, porém ele venceu em Cristo, que foi o Primeiro (Adão) e o Último(Jesus Cristo).

Aos Romanos - Cap. 6    vrs. 5 a 14 (6)

 

5  Porque, se fomos plantados juntamente com ele na semelhança da sua morte, também o seremos na da sua ressurreição;

6  Sabendo isto: que o nosso velho homem foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, a fim de que não sirvamos mais ao pecado.

7  Porque aquele que está morto está justificado do pecado.

8  Ora, se morremos com Cristo, cremos que também com ele viveremos;

9  Sabendo que, havendo Cristo ressuscitado dos mortos, já não morre; a morte não mais terá domínio sobre ele.

10  Pois, quanto a ter morrido, de uma vez morreu para o pecado; mas, quanto a viver, vive para Deus.

11  Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus, nosso Senhor.

12  Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências;

13  Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça.

14  Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça.

 

Finalizando este capítulo, o autor espera que pelos textos já lidos até então,  o leitor possa tirar a conclusão da razão de sua existência aqui na Terra.

 

 

Copyright © 2008, www.embuscadaverdade.com.br. All rights reserved.
Webmaster : J.E.S.