Em Busca da Verdade...
Capítulo 4

O Primeiro plano cristão - de Adão a Jesus

(em 10 partes)

PARTE 7- Os meios com que os Anjos se comunicaram com os profetas e Apóstolos - reportagens - jornais

Capítulos

4-O Primeiro plano cristão - de Adão a Jesus (Dividido em 10 partes) leia as partes abaixo:

5-O Segundo Plano Cristão- O Messias - apartir de Jesus (em 11 partes)

 

 

 OS  MEIOS COM  QUE OS ANJOS SE COMUNICARAM COM OS HOMENS

image7A humanidade teve os primeiros sinais de acompanhamento extra-terrestre, por relatos históricos, com visões e descrição por seres humanos, à partir dos livros de Moisés, por ocasião do clamor do povo que estava sendo oprimido e foi ouvido por Deus. E Deus mandou os seus enviados em auxílio para orientar e livrar os seus escolhidos da mão de seus opressores,  chegando até a Revista Manchete pág.53 – 7/04/1979

batalhar por eles.  O que nos dá a certeza destas ligações e visões daquela época com as atuais, são os coincidentes relatos que, analisados, considerando a época em que foram

                                                                                                                           

descritos, vêm a bater exatamente com as descrições dos objetos voadores não identificados da atualidade. Para quem teve a oportunidade de ver, fica muito simples entender essas aparições, como as de Moisés.     

image4Mas se a humanidade teve o privilégio de ler essas descrições gravadas através dos tempos nos livros do antigo e segundo testamento, podemos dar crédito para as visões da atualidade que tanto os governos se preocupam ( e até escondem informações preciosas )  sobre contatos extra – terrenos que muito poderiam ajudar a humanidade a entender melhor a Bíblia, que é o manual da boa

(revista Fatos e Fotos  Gente  - pág.4 – 2/4/1979

conduta e a obediência à Deus, que rege o Universo!

Segue textos diversos com algumas indicações no inicio,  numa seqüência  simultânea do antigo e segundo testamento,  para que o leitor possa comparar os textos originais com as aparições atuais de óvnis.

 image5

 Diário da Noite – pág.6 – 5/09/1978
O que o leitor está vendo são fotos tiradas de publicações jornalísticas, revistas, em várias ocasiões e datas diferentes conforme foram manchetes em sua época.    À propósito , realça-se no princípio deste capítulo esta foto,  pois para as pessoas que nunca viram um disco voador, objeto não identificado, fica difícil descrevê-los. Dificuldade essa que o autor  também teve para passar para o papel. Desta maneira fica mais simples poder entender uma descrição, feita ha mais de dois mil anos por um profeta ou apóstolo.

Imagine você, leitor, se deparando à noite ou durante o dia com algo estranho no céu, nada familiar. É essa a situação das pessoas que fizeram tais declarações bíblicas. Hoje pode-se até dizer que se viu um balão ou um avião e fica por isso mesmo. Mas voltando às fotos, elas foram consideradas sem fraude ou mesmo,  nem puderam  ser comparadas com algo explicável na própria ciência ou física, devido aos movimentos executados pelos objetos fotografados e filmados.

Este capítulo talvez seja um dos mais importantes deste livro; pois junta vários relatos de profetas do antigo e segundo testamento, para o leitor ter uma idéia melhor do acompanhamento dos anjos, que nos assistem neste planeta desde a aparição da Glória do Senhor na sarça,  às tabuas dos dez mandamentos;  até as aparições no segundo testamento com os apóstolos e seus testemunhos. Embora os assuntos dos relatos aqui  retratados  sejam dos mais diversos, temos também relatos de pessoas que tiveram as mesma experiência  dos profetas e apóstolos, experiências estas vividas nos tempos atuais. Todas elas mostrando estas mesmas visões difíceis de descrever.

Os mais céticos acham um absurdo tais comparações, pois as tem como sacrilégio, mas na opinião do autor, esta comparação é fundamental.

Existem  milhares de galáxias e outros tantos sistemas solares iguais ao nosso, podendo existir outras formas diferentes de vida. Isso nos leva a acreditar que poderíamos receber visitas, salvaguardando os  princípios de origem que nos foi ditado desde a nossa formação: “Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança “. Devemos essa informação Àquele que nos criou dentro do nosso sistema solar; mas não podemos negar também aparições de outros seres estranhos à nossa imagem, pois já foram vistos e têm-se até noticias de que alguns extraterrestres foram capturados para estudos.

Esta é uma realidade viva nos dias de hoje e para os interessados, existem várias publicações e relatos à respeito deste assunto.

Desta forma quero deixar esses exemplos para que o leitor possa comparar com as descrições de Moisés no livro de Êxodo e outros relatos sobre os Anjos e suas máquinas voadoras.     

 image6

                    Diário Popular – pág 2  24/11/1977


Vamos verificar daqui para frente fatos relacionados com publicações em revistas e jornais de congressos sobre o assunto, estudos científicos e descrições de pessoas que tiveram contatos com objetos não identificados, chamados ovnis ou discos voadores.

 

Passemos a um  Jornal da cidade de São Paulo (Brasil) – Diário da Noite -  segunda feira  6 de setembro de 1976, pagina 6 . – Reportagem de Dirceu Alves e Maria Lisomar Silva, tendo como titulo   “Os Invasores -  sub-titulo -  As nuvens, seu esconderijo.  -  

Ø  Em 22 de março de 1870, em águas equatoriais no Oceano Atlântico, da corveta inglesa “Lady of the Lake”, sob o comando de F. W. Banner, alguns tripulantes viram uma nuvem que poderia ser o que alguns cientistas consideram o “esconderijo perfeito” dos discos voadores. A nuvem-esconderijo ficou sobre a corveta durante quase uma hora. O pessoal da embarcação avisou imediatamente as autoridades aéreas, mas quando chegaram os primeiros aviões para investigar o caso, a nuvem desapareceu, misturando-se às outras camadas nebulosas.

Ø  J. Baldwin, piloto inglês, garante que em março de 1952, quando sobrevoava a Coréia em missão militar, viu uma dessas nuvens solitárias. Tentou perseguí-la, mas como se a camada fosse realmente tripulada, a nuvem fez incríveis manobras no ar e acabou driblando o seu perseguidor.         

Ø  Em novembro de 1953 perto de Kimross, Michigan, Estados Unidos, foi avistada uma dessas nuvens-esconderijo, de cor roxa, largas beiradas. Um F-89 da base aérea mais próxima foi  mandada na perseguição da camada e por 200 Km houve a sensacional caçada aérea comandada pelo sub-tenente Felix Monda Junior. Em terra, pelo radar, as autoridades militares acompanharam a busca e a 160 Km de Sault Saint Marie e 110 Km de Keweenaw Point registrou-se um impacto que se atribuiu a colisão com a nuvem. E desapareceram tanto o avião quanto a nuvem.  

Ø  Francisco Navarro, argentino, conta que em 30 de agosto de 1955, em Dudignar perto de Buenos Aires fotografou uma dessas nuvens com câmera 35mm sem filtro. Posteriormente, revelado o filme, apareceu claramente na foto um disco voador. Esse caso, guardado a sete chaves até recentemente, está no famoso Livro Azul, editado nos Estados Unidos sobre investigações de Objetos Voadores não Identificados.    

Ø  Um dos casos mais impressionantes teria ocorrido, segundo vários relatos em revistas cientificas, em Norfolk em 25 de agosto de 1915. Conta-se que mil homens do 41: Regimento de Infantaria marchavam pelos campos quando, de repente, apareceram oito dessas misteriosas nuvens. Os soldados, inconscientes quanto ao perigo, continuaram marchando e, no final seiscentos  deles tinham sido engolidos pelas nuvens. Os 400 restantes fazem relatos confusos. Mas, ninguém até hoje explica o mistério.      

 

Leremos abaixo alguns trechos bíblicos que também passamos a analisar, e serão interrompidos em sua historia original, por se tratar de assunto específico das visões descritas pelas pessoas que tiveram esse tipo de experiência.  Portanto, os textos bíblicos serão intercalados com reportagens de jornais e revistas, as quais foram notícia no

mundo todo.        

Êxodo  - Cap. 3 - Vers.   1   a   15 

 

1  E apascentava Moisés o rebanho de Jetro, seu sogro, sacerdote em Midiã; e levou o rebanho atrás do deserto e veio ao monte de Deus, a Horebe.

2  E apareceu-lhe o Anjo do SENHOR em uma chama de fogo, no meio de uma sarça; e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia.

3  E Moisés disse: Agora me virarei para lá e verei esta grande visão, porque a sarça se não queima.

4  E, vendo o SENHOR que se virava para lá a ver, bradou Deus a ele do meio da sarça e disse: Moisés! Moisés! E ele disse: Eis-me aqui.

5  E disse: Não te chegues para cá; tira os teus sapatos de teus pés; porque o lugar em que tu estás é terra santa.

6  Disse mais: Eu sou o Deus de teu pai, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó. E Moisés encobriu o seu rosto, porque temeu olhar para Deus.

7  E disse o SENHOR: Tenho visto atentamente a aflição do meu povo, que está no Egito, e tenho ouvido o seu clamor por causa dos seus exatores, porque conheci as suas dores.

8  Portanto, desci para livrá-lo da mão dos egípcios e para fazê-lo subir daquela terra a uma terra boa e larga, a uma terra que mana leite e mel; ao lugar do cananeu, e do heteu, e do amorreu, e do ferezeu, e do heveu, e do jebuseu.

9  E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel chegou a mim, e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem.

10  Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó, para que tires o meu povo, os filhos de Israel, do Egito.

11  Então, Moisés disse a Deus: Quem sou eu, que vá a Faraó e tire do Egito os filhos de Israel?

12  E Deus disse: Certamente eu serei contigo; e isto te será por sinal de que eu te enviei: quando houveres tirado este povo do Egito, servireis a Deus neste monte.

13  Então, disse Moisés a Deus: Eis que quando vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós; e eles me disserem: Qual é o seu nome? Que lhes direi?

14  E disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós.

15  E Deus disse mais a Moisés: Assim dirás aos filhos de Israel: O SENHOR, o Deus de vossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaque e o Deus de Jacó, me enviou a vós; este é meu nome eternamente, e este é meu memorial de geração em geração.

 

Êxodo  - Cap. 13  Vers.   20  a  22  

 

20  Assim, partiram de Sucote e acamparam em Etã, à entrada do deserto.

21  E o SENHOR ia adiante deles, de dia numa coluna de nuvem, para os guiar pelo caminho, e de noite numa coluna de fogo, para os alumiar, para que caminhassem de dia e de noite.

22  Nunca tirou de diante da face do povo a coluna de nuvem, de dia, nem a coluna de fogo, de noite.

 

Êxodo - Cap. 14 - Vers.   14   a   26 

 

14  O SENHOR pelejará por vós, e vos calareis.

15  Então, disse o SENHOR a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.

16  E tu, levanta a tua vara, e estende a tua mão sobre o mar, e fende-o, para que os filhos de Israel passem pelo meio do mar em seco.

17  E eis que endurecerei o coração dos egípcios para que entrem nele atrás deles; e eu serei glorificado em Faraó, e em todo o seu exército, e nos seus carros, e nos cavaleiros,

18  E os egípcios saberão que eu sou o SENHOR, quando for glorificado em Faraó, e nos seus carros, e nos seus cavaleiros.

19  E o Anjo de Deus, que ia adiante do exército de Israel, se retirou e ia atrás deles; também a coluna de nuvem se retirou de diante deles e se pôs atrás deles.

20  E ia entre o campo dos egípcios e o campo de Israel; e a nuvem era escuridade para aqueles e para estes esclarecia a noite; de maneira que em toda a noite não chegou um ao outro.

21  Então, Moisés estendeu a sua mão sobre o mar, e o SENHOR fez retirar o mar por um forte vento oriental toda aquela noite; e o mar tornou-se em seco, e as águas foram partidas.

22  E os filhos de Israel entraram pelo meio do mar em seco; e as águas lhes foram como muro à sua direita e à sua esquerda.

23  E os egípcios seguiram-nos, e entraram atrás deles todos os cavalos de Faraó, os seus carros e os seus cavaleiros, até ao meio do mar.

24  E aconteceu que, na vigília daquela manhã, o SENHOR, na coluna de fogo e de nuvem, viu o campo dos egípcios; e alvoroçou o campo dos egípcios,

25  E tirou-lhes as rodas dos seus carros, e fê-los andar dificultosamente. Então, disseram os egípcios: Fujamos da face de Israel, porque o SENHOR por eles peleja contra os egípcios.

26  E disse o SENHOR a Moisés: Estende a tua mão sobre o mar, para que as águas tornem sobre os egípcios, sobre os seus carros e sobre os seus cavaleiros.

 

Êxodo -  Cap. 16 - Vers.     9   a  10 

 

9  Depois, disse Moisés a Arão: Dize a toda a congregação dos filhos de Israel: Chegai-vos para diante do SENHOR, porque ouviu as vossas murmurações.

10  E aconteceu que, quando falou Arão a toda a congregação dos filhos de Israel, e eles se viraram para o deserto, eis que a glória do SENHOR apareceu na nuvem.

 

Êxodo Cap. 19  - Vers.   16  a  25 

 

16  E aconteceu ao terceiro dia, ao amanhecer, que houve trovões e relâmpagos sobre o monte, e uma espessa nuvem, e um sonido de buzina mui forte, de maneira que estremeceu todo o povo que estava no arraial.

17  E Moisés levou o povo fora do arraial ao encontro de Deus; e puseram-se ao pé do monte.

18  E todo o monte Sinai fumegava, porque o SENHOR descera sobre ele em fogo; e a sua fumaça subia como fumaça de um forno, e todo o monte tremia grandemente.

19  E o sonido da buzina ia crescendo em grande maneira; Moisés falava, e Deus lhe respondia em voz alta.

20  E, descendo o SENHOR sobre o monte Sinai, sobre o cume do monte, chamou o SENHOR a Moisés ao cume do monte; e Moisés subiu.

21  E disse o SENHOR a Moisés: Desce, protesta ao povo que não traspasse o termo para ver o SENHOR, a fim de muitos deles não perecerem.

22  E também os sacerdotes, que se chegam ao SENHOR, se hão de santificar, para que o SENHOR não se lance sobre eles.

23  Então, disse Moisés ao SENHOR: O povo não poderá subir o monte Sinai, porque tu nos tens protestado, dizendo: Marca termos ao monte e santifica-o.

24  E disse-lhe o SENHOR: Vai, desce; depois, subirás tu, e Arão contigo; os sacerdotes, porém, e o povo não traspassem o termo para subir ao SENHOR, para que não se lance sobre eles.

25  Então, Moisés desceu ao povo e disse-lhes isto.

 

O Senhor faz uma advertência aos seres terrenos quanto à autoridade e severidade do Espírito Santo, porta voz, e exprimindo a vontade de Deus junto aos homens. Entendendo que Ele (Deus)  nunca foi visto por alguém, os seus anjos falaram por Ele.    Tornando o Espírito Santo um dos elos da trindade unificada: Pai, Filho e Espírito Santo. Mais uma vez teremos uma polêmica, pois algumas igrejas cristãs, entendem “Espírito Santo” como Deus. 

Leiamos à respeito:

 

SÃO LUCAS -  Cap. 12 - Vers.     10 

10 Todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem será perdoado, mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado.

 

Salmos -  Cap. 103 Vers. 17  a  21 

 

17  Mas a misericórdia do SENHOR é de eternidade a eternidade sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos;

18  Sobre aqueles que guardam o seu concerto, e sobre os que se lembram dos seus mandamentos para os cumprirem.

19  O SENHOR tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo.

20  Bendizei ao SENHOR, anjos seus, magníficos em poder, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra.

21  Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós, ministros seus, que executais o seu beneplácito.

 

Êxodo -  Cap. 23  - Vers   20  a  23

 

20  Eis que eu envio um Anjo diante de ti, para que te guarde neste caminho e te leve ao lugar que te tenho aparelhado.

21  Guarda-te diante dele, e ouve a sua voz, e não o provoques à ira; porque não perdoará a vossa rebelião; porque o meu nome está nele.

22  Mas, se diligentemente ouvires a sua voz e fizeres tudo o que eu disser, então, serei inimigo dos teus inimigos e adversário dos teus adversários.

23  Porque o meu Anjo irá diante de ti e te levará aos amorreus, e aos heteus, e aos ferezeus, e aos cananeus, e aos heveus, e aos jebuseus; e eu os destruirei.

 

A confirmação do segundo testamento, que Deus,  nunca foi visto por alguém.

Ev. São João  - Cap.  1  Vers. 17 / 18

 

17  Porque a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo.

18  Deus nunca foi visto por alguém. O Filho unigênito, que está no seio do Pai, este o fez conhecer.

 

   I Epístola de  São João - Cap.   4 Vers. 12

 

12  Ninguém jamais viu a Deus; se nós amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeita a sua caridade.

Com estas passagens acima, o autor deste livro quer deixar bem claro ao leitor que ninguém jamais viu a Deus, mais uma vez reafirmando a separação entre Jesus, seu filho UNGIDO e Deus do universo e seu exército de ministros (Espírito Santo).

Continuemos agora com uma visão mais clara dos meios de transporte dos anjos .

Neste texto abaixo, esclareceremos no versículo 10 e 11 a expressão “Viram a Deus” o que não significa que o povo viu a face de Deus, pois nos versículos 16 e 17 está claro que viram a Glória do Senhor com o seu esplendor como pedra de safira, como um fogo que naturalmente resplandecia em suas luzes brilhantes às quais o texto tanto descreve, nos dando a entender claramente a visão deu um Disco Voador (lembramos ao leitor que esta visão foi relatada a mais de 8000 anos e ninguém sabia o que era luz elétrica ou avião).

 

Êxodo -  Cap. 24  - Vers.   9   a   18  

 

9  E subiram Moisés e Arão, Nadabe e Abiú, e setenta dos anciãos de Israel.

10  E viram o Deus de Israel, e debaixo de seus pés havia como uma obra de pedra de safira e como o parecer do céu na sua claridade.

11  Porém ele não estendeu a sua mão sobre os escolhidos dos filhos de Israel; mas viram a Deus, e comeram, e beberam.

12  Então, disse o SENHOR a Moisés: Sobe a mim, ao monte, e fica lá; e dar-te-ei tábuas de pedra, e a lei, e os mandamentos que tenho escrito, para os ensinares.

13  E levantou-se Moisés com Josué, seu servidor; e subiu Moisés o monte de Deus.

14  E disse aos anciãos: Esperai-nos aqui, até que tornemos a vós; e eis que Arão e Hur ficam convosco; quem tiver algum negócio se chegará a eles.

15  E, subindo Moisés o monte, a nuvem cobriu o monte.

16  E habitava a glória do SENHOR sobre o monte Sinai, e a nuvem o cobriu por seis dias; e, ao sétimo dia, chamou o SENHOR a Moisés do meio da nuvem.

17  E o aspecto da glória do SENHOR era como um fogo consumidor no cume do monte aos olhos dos filhos de Israel.

18  E Moisés entrou no meio da nuvem, depois que subiu o monte; e Moisés esteve no monte quarenta dias e quarenta noites.

 

A severidade e os cuidados dos anjos com os homens.

No trecho que se segue temos um fato muito curioso quanto às vestes dos sacerdotes, incluindo a veste de Aarão.  Elas foram devidamente preparadas para fazer barulho quando as pessoas andassem e entrassem no santuário, pois ali permaneciam os anjos acampados.   Estando em forma corpórea, poderiam ser surpreendidos por pessoas comuns e isto não poderia acontecer!   Suas reações, dos anjos, poderiam ser mortíferas para os seres humanos, por meio de campos magnéticos ou radiações espontâneas por parte Deles.  Vejamos o texto:

 

Êxodo -  Cap. 28  - Vers.  33  a   35   

 

33  E nas suas bordas farás romãs de pano azul, e de púrpura, e de carmesim, ao redor das suas bordas; e campainhas de ouro no meio delas ao redor.

34  Uma campainha de ouro e uma romã, outra campainha de ouro e outra romã haverá nas bordas do manto ao redor.

35  E estará sobre Arão quando ministrar, para que se ouça o seu sonido, quando entrar no santuário diante do SENHOR e quando sair, para que não morra.

 

A tenda junto do povo para a Gloria do Senhor

Êxodo - Cap.  33 - Vers.   7  a  23 

 

7  E tomou Moisés a tenda, e a estendeu para si fora do arraial, desviada longe do arraial, e chamou-lhe a tenda da congregação; e aconteceu que todo aquele que buscava o SENHOR saía à tenda da congregação, que estava fora do arraial.

8  E aconteceu que, saindo Moisés à tenda, todo o povo se levantava, e cada um ficava em pé à porta da sua tenda; e olhavam para Moisés pelas costas, até ele entrar na tenda.

9  E aconteceu que, entrando Moisés na tenda, descia a coluna de nuvem, e punha-se à porta da tenda; e o SENHOR falava com Moisés.

10  E, vendo todo o povo a coluna de nuvem que estava à porta da tenda, todo o povo se levantava, e inclinavam-se cada um à porta da sua tenda.

11  E falava o SENHOR a Moisés face a face, como qualquer fala com o seu amigo; depois, tornava ao arraial; mas o moço Josué, filho de Num, seu servidor, nunca se apartava do meio da tenda.

12  E Moisés disse ao SENHOR: Eis que tu me dizes: Faze subir a este povo, porém não me fazes saber a quem hás de enviar comigo; e tu disseste: Conheço-te por teu nome; também achaste graça aos meus olhos.

13  Agora, pois, se tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que agora me faças saber o teu caminho, e conhecer-te-ei, para que ache graça aos teus olhos; e atenta que esta nação é o teu povo.

14  Disse, pois: Irá a minha presença contigo para te fazer descansar.

15  Então, disse-lhe: Se a tua presença não for conosco, não nos faças subir daqui.

16  Como, pois, se saberá agora que tenho achado graça aos teus olhos, eu e o teu povo? Acaso, não é por andares tu conosco, e separados seremos, eu e o teu povo, de todo o povo que sobre a face da terra?

17  Então, disse o SENHOR a Moisés: Farei também isto, que tens dito; porquanto achaste graça aos meus olhos; e te conheço por nome.

18  Então, ele disse: Rogo-te que me mostres a tua glória.

19  Porém ele disse: Eu farei passar toda a minha bondade por diante de ti e apregoarei o nome do SENHOR diante de ti; e terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem me compadecer.

20  E disse mais: Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá.

21  Disse mais o SENHOR: Eis aqui um lugar junto a mim; ali te porás sobre a penha.

22  E acontecerá que, quando a minha glória passar, te porei numa fenda da penha e te cobrirei com a minha mão, até que eu haja passado.

23  E, havendo eu tirado a minha mão, me verás pelas costas; mas a minha face não se verá.

 

Exodo   cap.  34   vers.   1   a   17

 

1  Então, disse o SENHOR a Moisés: Lavra-te duas tábuas de pedra, como as primeiras; e eu escreverei nas tábuas as mesmas palavras que estavam nas primeiras tábuas, que tu quebraste.

2  E prepara-te para amanhã, para que subas pela manhã ao monte Sinai, e ali põe-te diante de mim no cume do monte.

3  E ninguém suba contigo e também ninguém apareça em todo o monte; nem ovelhas nem bois se apascentem defronte do monte.

4  Então, ele lavrou duas tábuas de pedra, como as primeiras; e levantou-se Moisés pela manhã de madrugada e subiu ao monte Sinai, como o SENHOR lhe tinha ordenado; e tomou as duas tábuas de pedra na sua mão.

5  E o SENHOR desceu numa nuvem e se pôs ali junto a ele; e ele apregoou o nome do SENHOR.

6  Passando, pois, o SENHOR perante a sua face, clamou: JEOVÁ, o SENHOR, Deus misericordioso e piedoso, tardio em iras e grande em beneficência e verdade;

7  Que guarda a beneficência em milhares; que perdoa a iniqüidade, e a transgressão, e o pecado; que ao culpado não tem por inocente; que visita a iniqüidade dos pais sobre os filhos e sobre os filhos dos filhos até à terceira e quarta geração.

8  E Moisés apressou-se, e inclinou a cabeça à terra, e encurvou-se.

9  E disse: Senhor, se agora tenho achado graça aos teus olhos, vá agora o Senhor no meio de nós; porque este é povo obstinado; porém perdoa a nossa iniqüidade e o nosso pecado e toma-nos pela tua herança.

10  Então, disse: Eis que eu faço um concerto; farei diante de todo o teu povo maravilhas que nunca foram feitas em toda a terra, nem entre gente alguma; de maneira que todo este povo, em cujo meio tu estás, veja a obra do SENHOR; porque coisa terrível é o que faço contigo.

11  Guarda o que eu te ordeno hoje; eis que eu lançarei de diante de ti os amorreus, e os cananeus, e os heteus, e os ferezeus, e os heveus, e os jebuseus.

12  Guarda-te que não faças concerto com os moradores da terra aonde hás de entrar; para que não seja por laço no meio de ti.

13  Mas os seus altares transtornareis, e as suas estátuas quebrareis, e os seus bosques cortareis.

14  Porque te não inclinarás diante de outro deus; pois o nome do SENHOR é Zeloso; Deus zeloso é ele;

15  para que não faças concerto com os moradores da terra, e não se prostituam após os seus deuses, nem sacrifiquem aos seus deuses, e tu, convidado deles, comas dos seus sacrifícios.

16  E tomes mulheres das suas filhas para os teus filhos, e suas filhas, prostituindo-se após os seus deuses, façam que também teus filhos se prostituam após os seus deuses.

17  Não farás para ti deuses de fundição.

18  A Festa dos Pães Asmos guardarás; sete dias comerás pães asmos, como te tenho ordenado, ao tempo apontado do mês de abibe; porque no mês de abibe saíste do Egito.

 

Muitos de nós já ouvimos alguma vez a expressão “ Tenho que ter paciência de Jó “. -  Veremos à frente de onde vem esta frase e as razões que deixaram famosa até nossos dias.

Jó, por ser um servo fiel à Deus, proporciona (aos anjos) uma grande disputa por sua fidelidade.  Sua fé foi posta à toda prova, tendo ele, através de seu livre arbítrio, que escolher  suas decisões em aceitar ou não o que a vida lhe impunha.

Prova esta que de certa forma, põe à todos nós, na mesma situação no decorrer de nossas vidas.   

  -  Cap. 1 - Vers.  1  a  22

 

1  Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; e este era homem sincero, reto e temente a Deus; e desviava-se do mal.

2  E nasceram-lhe sete filhos e três filhas.

3  E era o seu gado sete mil ovelhas, e três mil camelos, e quinhentas juntas de bois, e quinhentas jumentas; era também muitíssima a gente ao seu serviço, de maneira que este homem era maior do que todos os do Oriente.

4  E iam seus filhos e faziam banquetes em casa de cada um no seu dia; e enviavam e convidavam as suas três irmãs a comerem e beberem com eles.

5  Sucedia, pois, que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó, e os santificava, e se levantava de madrugada, e oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; porque dizia Jó: Porventura, pecaram meus filhos e blasfemaram de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente.

6  E vindo um dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles.

7  Então, o SENHOR disse a Satanás: De onde vens? E Satanás respondeu ao SENHOR e disse: De rodear a terra e passear por ela.

8  E disse o SENHOR a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém na terra semelhante a ele, homem sincero, e reto, e temente a Deus, e desviando-se do mal.

9  Então, respondeu Satanás ao SENHOR e disse: Porventura, teme Jó a Deus debalde?

10  Porventura, não o cercaste tu de bens a ele, e a sua casa, e a tudo quanto tem? A obra de suas mãos abençoaste, e o seu gado está aumentado na terra.

11  Mas estende a tua mão, e toca-lhe em tudo quanto tem, e verás se não blasfema de ti na tua face!

12  E disse o SENHOR a Satanás: Eis que tudo quanto tem está na tua mão; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do SENHOR.

13  E sucedeu um dia, em que seus filhos e suas filhas comiam e bebiam vinho na casa de seu irmão primogênito,

14  que veio um mensageiro a Jó e lhe disse: Os bois lavravam, e as jumentas pasciam junto a eles;

15  e eis que deram sobre eles os sabeus, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e eu somente escapei, para te trazer a nova.

16  Estando este ainda falando, veio outro e disse: Fogo de Deus caiu do céu, e queimou as ovelhas e os moços, e os consumiu; e só eu escapei, para te trazer a nova.

17  Estando ainda este falando, veio outro e disse: Ordenando os caldeus três bandos, deram sobre os camelos, e os tomaram, e aos moços feriram ao fio da espada; e só eu escapei, para te trazer a nova.

18  Estando ainda este falando veio outro e disse: Estando teus filhos e tuas filhas comendo e bebendo vinho, em casa de seu irmão primogênito,

19  eis que um grande vento sobreveio dalém do deserto, e deu nos quatro cantos da casa, a qual caiu sobre os jovens, e morreram; e só eu escapei, para te trazer a nova.

20  Então, Jó se levantou, e rasgou o seu manto, e rapou a sua cabeça, e se lançou em terra, e adorou,

21  e disse: Nu saí do ventre de minha mãe e nu tornarei para lá; o SENHOR o deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR.

22  Em tudo isto Jó não pecou, nem atribuiu a Deus falta alguma.

 

Jô - Cap. 2 - Vers.  1  a  10

 

1  E, vindo outro dia, em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o SENHOR, veio também Satanás entre eles apresentar-se perante o SENHOR.

2  Então, o SENHOR disse a Satanás: De onde vens? E respondeu Satanás ao SENHOR e disse: De rodear a terra e passear por ela.

3  E disse o SENHOR a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém na terra semelhante a ele, homem sincero e reto, temente a Deus, desviando-se do mal, e que ainda retém a sua sinceridade, havendo-me tu incitado contra ele, para o consumir sem causa.

4  Então, Satanás respondeu ao SENHOR e disse: Pele por pele, e tudo quanto o homem tem dará pela sua vida.

5  Estende, porém, a tua mão, e toca-lhe nos ossos e na carne, e verás se não blasfema de ti na tua face!

6  E disse o SENHOR a Satanás: Eis que ele está na tua mão; poupa, porém, a sua vida.

7  Então, saiu Satanás da presença do SENHOR e feriu a Jó de uma chaga maligna, desde a planta do pé até ao alto da cabeça.

8  E Jó, tomando um pedaço de telha para raspar com ele as feridas, assentou-se no meio da cinza.

9  Então, sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus e morre.

10  Mas ele lhe disse: Como fala qualquer doida, assim falas tu; receberemos o bem de Deus e não receberíamos o mal? Em tudo isto não pecou Jó com os seus lábios.

 

 

 Jó - Cap.  42  - Vers.   10   a   12

 

10  E o SENHOR virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos; e o SENHOR acrescentou a Jó outro tanto em dobro a tudo quanto dantes possuía.

11  Então, vieram a ele todos os seus irmãos e todas as suas irmãs e todos quantos dantes o conheceram, e comeram com ele pão em sua casa, e se condoeram dele, e o consolaram de todo o mal que o SENHOR lhe havia enviado; e cada um deles lhe deu uma peça de dinheiro, e cada um, um pendente de ouro.

12  E, assim, abençoou o SENHOR o último estado de Jó, mais do que o primeiro; porque teve catorze mil ovelhas, e seis mil camelos, e mil juntas de bois, e mil jumentas.

 

Uma  panela a ferver.  Anunciação do juízo. 

Jeremias   - Cap. 1 - Vers.   13 

 

13 A palavra do Senhor foi-me dirigida pela segunda vez: “O que estás vendo?”Respondi: “Vejo uma panela fervendo, cuja boca está voltada para o norte”.

 

O comentário que faremos refere-se ao texto acima e aos que virão em seguida.  Nós os seres humanos, passamos por uma série de experiências através dos séculos que tinham por objetivo, melhorar  o nosso caráter e o nosso senso de aceitação mútua. Não nos esquecendo que somos anjos caídos, tentando voltar a vida no Universo ( Vida Eterna).

As raças distintas quando se encontraram, causaram um grande espanto a ambas as partes:  O Oriental, o Negro, os Indios e Branco, pelo seu contraste na cor ou seu aspecto físico,   na altura  como os Pigmeus; nos olhos como os Orientais;  Na cor como os Indios e os Negros.

Fica difícil classificar qual a raça humana mais perversa.   Chegamos a escravizar umas às outras, fazendo atrocidades cruéis como chicotear um escravo ou prisioneiro, no tronco até à morte, alguns segmentos religiosos se achando enviados por Deus, e querendo fazer justiça divina, exterminaram outros povos que não pensavam iguais à eles, e isto não faz muito tempo.

As religiões ou seitas queimaram vivas milhares de pessoas sem falar nos sacrifícios humanos oferendados às suas crenças. 

Extermínio em massa de povos e nações em fornalhas criadas especialmente para isso.

O autor deste livro quer que o leitor entenda a maldade do ser humano, e que este ser humano, está longe do seu objetivo que é “ ser puro”, se “santificar” em amor, para que possa ter acesso através de Jesus Cristo, a esta volta a nossa origem, pois como veremos, nos não estamos só no universo.

Em geral tudo o que o ser humano não entende, ele tende a desclassificar, destruir, ou simplesmente conotar como “ coisa do diabo” ( leremos mais adiante a respeito de Galileu-Galilei e sua condenação).

Quando compreendemos que estamos em uma situação limitada, quanto ao tempo, espaço,  comunicação e  tecnologia,  fica mais fácil de entender os Seres que nos visitam, pois eles parecem estar muito à frente nesse campo.

Enfrentamos uma outra dimensão que desconhecemos. A materialização e a desmaterialização de matérias vivas e inanimadas.

Ao chegarmos neste ponto do livro, vamos comparar as declarações de profetas com os relatos da atualidade.   Estrondos, barulhos indescritíveis, desaparecimento momentâneo ou desmaterializações.

Por outro lado, o ser humano apavorado com o desconhecido, procura descredenciar as aparições de objetos voadores não identificados,  mas sem sucesso.

Veremos relatos de cientistas e militares do Pentágono, Forcas Armadas Norte Americana  E.U.A ., tranqüilizando as populações, dizendo que as aparições e acompanhamentos por parte dos Extraterrestres não oferecem ameaça à segurança nacional.

Porem o instinto violento e medroso característico do ser humano, cria situações inesperadas se ele não estiver preparado psicologicamente para um encontro desta natureza.

Poderá causar acidentes como: paralisação momentânea ou parcial em membros do corpo humano durante semanas ou meses. Em certos casos, foram encontradas pessoas mortas, em situações críticas e apavorantes.

Comparando esses relatos, poderemos analisar como os Anjos advertiam os seus sacerdotes e como batalhavam com seus raios mortíferos mandados por Deus, contra os povos contrários aos escolhidos.                           

Leiamos algumas passagens bíblicas:

Jeremias -  Cap. 10  - Vers.   1  a  2

 

1  Ouvi a palavra que o SENHOR vos fala a vós, ó casa de Israel.

2  Assim diz o SENHOR: Não aprendais o caminho das nações, nem vos espanteis com os sinais dos céus; porque com eles se atemorizam as nações.

 

Quinta-feira, 2 de setembro de 1976 - Jornal   Noticias Populares - pag. 3

O professor Allen Hyneck, do Departamento de Astronomia da Northwesten University, nos Estados Unidos, telegrafou ontem para a Apex ( Associação de Pesquisas Exológicas ), comunicando seu apoio à 1a. Vigilia nacional de Observação dos Objetos Voadores Não Identificados(OVNIS), que a sociedade realizará nos dias 4 e 5 deste mês, com a finalidade de tentar uma coleta de dados sobre aparições dos chamados Discos Voadores em todo o Brasil. O professor Hyneck é considerado um dos mais conceituados pesquisadores dos Ovnis em todo o mundo, e durante 22 anos ocupou o cargo de Conselheiro da Força Aérea dos Estados Unidos. Ele é autor de diversas obras de Astronomia, e quando iniciou suas investigações sobre os Ovnis, sua intenção era provar que tudo não passava de má interpretação de simples fenômenos naturais. No princípio deste ano o professor Hyneck esteve no Brasil, chegando inclusive a falar na Câmara dos Deputados, em Brasilia. Em São Paulo visitou a Apex e tomou conhecimento detalhado dos diversos casos de aparições de Discos Voadores no Brasil.

 

Entre outros tópicos sobre a vigília neste artigo, ressaltamos estes dois subtítulos. 

Documentos

 Um outro fato importante aconteceu nesses últimos dias: as autoridades norte americanas liberaram documentos que eram mantidos até agora como ultra secretos e constantes do chamado Livro Azul. Este projeto, de 1947 a  1969, de responsabilidade da Força Aérea dos Estados Unidos, destinava-se em seus fundamentos a esclarecer ( o que para um melhor entendimento significava desacreditar ) os fenômenos dos Objetos Voadores não Identificados.  Seu resultado inicial foi a compilação de 140 mil páginas com o registro de 12 mil casos relativos a Ovnis. Agora ele deixou de ser secreto devido a uma Lei de Liberdade de Informação, que libera qualquer documento para exame e publicação após um período de 20 anos.

 Pentágono

A pesquisa foi encomendada pelo Pentágono, com casos previamente selecionados e com a finalidade de minimizar a importância do problema. Com isso seria evitada a aceitação e interesse generalizados que se verificava nos EUA sobre os Ovnis, que provavelmente perturbaria, em termos psicológicos, o sistema de defesa aérea nos Estados Unidos, segundo alguns. Assim, seria impedida a ação dos agentes inimigos que poderiam provocar um novo Pearl Harbor introduzindo informações inverídicas sobre Ovnis. Apesar de o Projeto Blue Book não ter conseguido explicar 700 casos por ele mesmo compilados, encerrou o assunto em 1969, informando que os Ovnis não ofereciam qualquer ameaça à segurança nacional.  

As aparições em todo o mundo dobraram de 1968 até hoje. Eles são vistos agora numa média de 100 casos por dia. O instituto Galupp, numa pesquisa realizada há dois anos, mostrou que 11% da população adulta dos EUA  ( mais de 15 milhões de pessoas ) informaram sobre aparições de Ovnis, provavelmente com dois a três milhões de casos verídicos.

Outro dado da Galup: 51 %  da população norte-americana aceita a existência dos Ovnis.  E no Brasil?

A Vigília vai dar agora os primeiros dados de uma amostragem coletiva. 

( Fim deste artigo )

 

Ovni  ( Documento )   N: 4   pag.  22

Revista trimestral especializada na pesquisa sobre discos voadores.

Ovni Personalidade

Dr. J. Allen Hynek é mundialmente conhecido como consultor científico do filme Contatos Imediatos do terceiro Grau. Aclamado como o “ Galileu da Ufologia “ por um conhecido semanário americano, Dr. Hynek faz Jus a numerosos títulos adquiridos ao longo de uma distinta e honrosa carreira. Professor de Astronomia, foi estudante de Harvard, depois conferencista na mesma Universidade. Foi professor de Astronomia da Universidade Northwestern. Atualmente, é diretor do Center for UFO Studies ( Cufos ), por ele fundado. Ao longo de mais de vinte anos foi consultor cientifico da Força Aérea Norte-Americana para UFOs. Entre outras atividades, participou do programa de ótica de rastreamento de satélites dos Estados Unidos no Ano Geofísico Internacional (IGY). Foi Presidente do Departamento de Astronomia, e diretor associado do Observatório Smithsoniano de Astrofísica. Apesar de estar ocupando cargos de tão alto relevo, resolveu enfrentar o problema ufológico com independência pessoal, desligando-se de seus encargos governativos para publicar o corajoso livro-documento “The UFO Experience: A Scientific Enquiry”- A Experiência Ufológica: Um inquérito Cientifico -, vademecum de cada estudioso de Ufologia, publicado em 1972. Seguiram-no “The Edge of Reality” (Ao Linear da Realidade) de co-autoria com Jacques Vallée, e “The Hynek UFO Report”(OVNI-Relatório Hynek) de 1977.    

Dr. Hynek dirige o boletim mensal International UFO Reporter, do qual OVNI DOCUMENTO  é correspondente em nosso país.

Na vanguarda do movimento ufológico mundial tem viajado praticamente ao redor da Terra. Em 1975, convidado pela Comissão Cientifica e Tecnológica, foi trazido ao Brasil pelo Gen. Moacyr Uchôa, e pronunciou uma conferência no Plenário do Congresso Nacional, perante mil  pessoas. Em seguida, presidiu o primeiro Simpósio Internacional de Curitiba e fez conferencia em São Paulo,

para a APEX, outras no Rio de Janeiro e Belo Horizonte. Seguiram-se viagens pela Austrália, Europa, Japão, sempre participando  em Congressos e Simpósios, acompanhado pela esposa Mrs. Mimi Hynek, ativa tanto quanto o seu marido no CUFOS, onde dirige o boletim, compila catálogos sobre traços físicos de UFOs, dedicando para isto seu tempo integral, apesar dos cinco filhos do casal.

Dr. Hynek discursou em novembro passado perante o Comitê Político das Nações Unidas sobre Ufologia, numa ocasião histórica que colocava o assunto formalmente perante os delegados ali reunidos, após uma apresentação pelo Primeiro Ministro ( atualmente ex-Primeiro Ministro) Sir Eric Geiry . -

( Fim deste artigo ).

 

No edital de quinta feira, 2 de setembro de 1976 do Jornal Noticias Populares na pag. 3, temos a seguinte manchete:               

Disco voador ataca e deixa rapaz paralítico.

BLUMENAU ( do correspondente Waldemar Bastos ) – João Romeu Klein, 19 anos, viveu momentos difíceis sábado, quando foi vítima de um facho de luz desferido por um dos três tripulantes de um disco voador. Socorrido por seu  irmão, foi inicialmente internado no hospital de Brusque, e ontem encaminhado para hospitalização em Florianópolis.

O fato verificou-se no centro de Moura, distrito de Canelinha.

O pai de João Romeu conta que “como já era noite, e estávamos cansados, disse que estava na hora de parar. Enquanto eu e Anésia levantamos para ir lavar as mãos, os filhos ficaram ainda conversando um pouco. Mais tarde, lá pelas 19h 30m, quando já estava escurecendo, eu vi João Romeu saindo e perguntei aonde ia, e ele falou-me que ia à casa de um amigo, mas que ia voltar logo para tomar banho. Depois só vi quando me chamaram correndo, que ele estava caído perto de casa. Levei um susto muito grande e fomos socorrê-lo.

Eram Pequenos

O próprio João Romeu Klein, um pouco assustado e querendo falar muito sobre o que aconteceu, disse: “Na hora confesso que não fiquei com medo, mas depois me apavorei.  Eu ia para casa de um amigo, o Norberto, combinar a hora de irmos a um baile, quando vi na minha frente, a uns 200 metros de minha casa, vindo em minha direção um clarão. Andei mais um pouco e aquilo ( em forma redonda e com muitas luzes avermelhadas, maior que um automóvel ) parou na minha frente.

Saltaram 3 homens, bem pequenos que deveriam ter no máximo um metro de altura, ficaram na minha frente e não pude vê-los direito, pois estavam com um tipo de máscara ou armadura”.

Parou de falar, muito nervoso, e disse: “Eu não posso nem me lembrar. O disco era iluminado e maior que um automóvel”.

Luzes reluzentes.

Depois de receber a medicação de Dulce, enfermeira que o atendia, continuou João Romeu:

“Não é que seja mais homem que ninguém, mas confesso que fiquei com medo, depois eram tão pequenos que pareciam três crianças.  Falavam uma linguagem que não entendia nada. Fiquei parado e olhando para o objeto em que eles viajavam. Era em forma arredondada, cheio de luzes e muito reluzente, mas não tinha porta e nem janela, pelo menos na parte que estava para mim”.

A perna esta dura

João Romeu apresentava a perna esquerda  ( que foi atingida pelo facho de luz ) completamente dura.  Ainda que as enfermeiras e colegas de quarto tentassem dobrar, não conseguiram. Os médicos em Brusque, não descobriram a causa e preferiram enviá-lo para Florianópolis.

A perna está completamente esquecida, nervos super enrijecidos, e ele não sente nada ali. Fez demonstrações incríveis, chegando a enfiar uma agulha de crochê e o próprio bisturi que estava na mão da enfermeira. Não sente dor e não sai sangue.

Paralitico

Mesmo assim, continua como se nada tivesse acontecido.

“Não tenho medo, só lamento se não puder mais mexer com essa perna, e ter que ficar com ela dura assim. Mesmo assim, pensando bem, ainda escapei barato” diz João Romeu Klein, sorrindo. Um jovem de espírito alegre e brincalhão, que encarou o caso como sobrenatural, que de agora em diante, disse “vou ter mais fé nas coisas que podem acontecer”.

Fim desta reportagem do dia 2 / 09/1976

 

Gente Fatos e Fotos   ----    Dezembro de 1978

 (Titulo)

O Livro Azul   -   é a chave do segredo de todos os objetos voadores

Toda a série de televisão sobre discos-voadores que no Brasil está sendo chamada de Projeto UFO, foi baseada num livro ultra-secreto, o Blue Book ( Livro Azul ). Na base aérea de Wright Patterson, em Daytona, Ohio, nos Estados Unidos, fica localizado o centro internacional que cuida dos objetos voadores não identificados ( em inglês, conhecidos pela sigla UFO – Unidentified Flyng Objects).

Todos os casos conhecidos são encaminhados para lá. Anteriormente, este trabalho era feito pelo Projeto Grudge, que até 1953 catalogou 45.600 casos. O Projeto Livro Azul estudou entre 53 e 66, 10.147 ocorrências, das quais 646 foram consideradas sem explicação. Muitos eram, na verdade, fenômenos naturais ou simplesmente histeria coletiva.

Segundo alguns estudiosos, os objetos voadores aparecem em grande número de tempos em tempos. Houve uma espécie de invasão em 52/ 53; uma outra em 1957,  e uma terceira em 66.

Estariam sempre ligadas a progressos científicos do homem, como as primeiras explosões da bomba de hidrogênio (52), os primeiros satélites artificiais lançados ao cosmo (57) e em 66, diante da corrida espacial e ida do homem à lua. Alguns astronautas, como Gordon Cooper, Conrad, Leonov e Beliaiev, tanto norte-americanos como soviéticos, teriam sido seguidos por OVNIs.

O interesse de extraterrenos, no entanto, viria de mais longe, desde a  Segunda Guerra Mundial. Nessa época, um comandante que tentou, com seu avião de caça, perseguir um dos discos, teve seu aparelho destruído em pleno ar. O afoito Capitão Thomas Mantel dirigia um F-51. Muitas pessoas presenciaram o incidente.       

( Fim deste artigo ).

 

     

Leiamos agora  sobre uma visão completa da Gloria do Senhor ou dos meios de comunicação dos anjos

 

Ezequiel   - Cap. 1  - Vers.  1 a 28

 

1  E aconteceu, no trigésimo ano, no quarto mês, no dia quinto do mês, que, estando eu no meio dos cativos, junto ao rio Quebar, se abriram os céus, e eu vi visões de Deus.

2  No quinto dia do mês (no quinto ano do cativeiro do rei Joaquim).

3  Veio expressamente a palavra do SENHOR a Ezequiel, filho de Buzi, o sacerdote, na terra dos caldeus, junto ao rio Quebar, e ali esteve sobre ele a mão do SENHOR.

4  Olhei, e eis que um vento tempestuoso vinha do Norte, e uma grande nuvem, com um fogo a revolver-se, e um resplendor ao redor dela, e no meio uma coisa como de cor de âmbar, que saía dentre o fogo.

5  E, do meio dela, saía a semelhança de quatro animais; e esta era a sua aparência: tinham a semelhança de um homem.

6  E cada um tinha quatro rostos, como também cada um deles, quatro asas.

7  E os seus pés eram pés direitos; e as plantas dos seus pés, como a planta do pé de uma bezerra, e luziam como a cor de cobre polido.

8  E tinham mãos de homem debaixo das suas asas, aos quatro lados; e assim todos quatro tinham seus rostos e suas asas.

9  Uniam-se as suas asas uma à outra; não se viravam quando andavam; cada qual andava diante do seu rosto.

10  E a semelhança do seu rosto era como o rosto de homem; e, à mão direita, todos os quatro tinham rosto de leão, e, à mão esquerda, todos os quatro tinham rosto de boi, e também rosto de águia, todos os quatro.

11  E o seu rosto e as suas asas eram separados em cima; cada qual tinha duas asas juntas uma à outra, e duas cobriam os corpos deles.

12  E cada qual andava diante do seu rosto; para onde o Espírito havia de ir, iam; não se viravam quando andavam.

13  E, quanto à semelhança dos animais, o seu parecer era como brasas de fogo ardentes, como uma aparência de tochas; o fogo corria por entre os animais, e o fogo resplandecia, e do fogo saíam relâmpagos.

14  E os animais corriam e tornavam, à semelhança dos relâmpagos.

15  E vi os animais; e eis que havia uma roda na terra junto aos animais, para cada um dos seus quatro rostos.

16  O aspecto das rodas e a obra delas eram como cor de turquesa; e as quatro tinham uma mesma semelhança; e o seu aspecto e a sua obra eram como se estivera uma roda no meio de outra roda.

17  Andando elas, andavam pelos quatro lados deles; não se viravam quando andavam.

18  Essas rodas eram tão altas, que metiam medo; e as quatro tinham as suas cambas cheias de olhos ao redor.

19  E, andando os animais, andavam as rodas ao pé deles; e, elevando-se os animais da terra, elevavam-se também as rodas.

20  Para onde o Espírito queria ir, iam; pois o Espírito os impelia; e as rodas se elevavam defronte deles, porque o Espírito da criatura vivente estava nas rodas.

21  Andando eles, andavam elas, e, parando eles, paravam elas, e, elevando-se eles da terra, elevavam-se também as rodas defronte deles, porque o Espírito dos animais estava nas rodas.

22  E, sobre a cabeça dos animais, havia uma semelhança de firmamentos, como um aspecto de cristal terrível, estendido por cima, sobre a sua cabeça.

23  E, debaixo do firmamento, estavam as suas asas direitas, uma em direção à outra; cada um tinha duas, que lhe cobriam o corpo de uma banda; e cada um tinha outras duas, que o cobriam da outra banda.

24  E, andando eles, ouvi o ruído das suas asas, como o ruído de muitas águas, como a voz do Onipotente, a voz de um estrondo, como o estrépito de um exército; parando eles, abaixavam as suas asas.

25  E ouviu-se uma voz por cima do firmamento, que estava por cima da sua cabeça; parando eles, abaixavam as suas asas.

26  E, por cima do firmamento, que estava por cima da sua cabeça, havia uma semelhança de trono como de uma safira; e, sobre a semelhança do trono, havia como que a semelhança de um homem, no alto, sobre ele.

27  E vi como a cor de âmbar, como o aspecto do fogo pelo interior dele, desde a semelhança dos seus lombos e daí para cima; e, desde a semelhança dos seus lombos e daí para baixo, vi como a semelhança de fogo e um resplendor ao redor dele.

28  Como o aspecto do arco que aparece na nuvem no dia da chuva, assim era o aspecto do resplendor em redor. Este era o aspecto da semelhança da glória do SENHOR; e, vendo isso, caí sobre o meu rosto e ouvi a voz de quem falava.

Ezequiel -  Cap.  8  - Vers.   2   e  4  e  13

 

2  E olhei, e eis uma semelhança como aparência de fogo; desde a aparência dos seus lombos, e daí para baixo, era fogo e dos seus lombos para cima, como aspecto de um resplendor, como cor de âmbar.

 

4  E eis que a glória do Deus de Israel estava ali, conforme a semelhança que eu tinha visto no vale.

.........

13  E disse-me: Tornarás a ver ainda maiores abominações do que as que estes fazem.

 

Leiamos mais algumas passagens bíblicas que descrevem as aparições dos anjos de Deus

Ezequiel  - Cap.   43       vers.   1   a   5      

 

1  Então, me levou à porta, à porta que olha para o caminho do oriente.

2  E eis que a glória do Deus de Israel vinha do caminho do oriente; e a sua voz era como a voz de muitas águas, e a terra resplandeceu por causa da sua glória.

3  E o aspecto da visão que vi era como o da visão que eu tinha visto quando vim destruir a cidade; e eram as visões como a que vi junto ao rio Quebar; e caí sobre o meu rosto.

4  E a glória do SENHOR entrou no templo pelo caminho da porta cuja face está para o lado do oriente.

5  E levantou-me o Espírito e me levou ao átrio interior; e eis que a glória do SENHOR encheu o templo.

 

Ezequiel -  Cap. 44  - Vers.    17 e  18  

 

17  E será que, quando entrarem pelas portas do átrio interior, se vestirão de vestiduras de linho; e não se porá lã sobre eles, quando servirem nas portas do átrio interior, dentro da casa.

18  Coifas de linho estarão sobre a sua cabeça, e calções de linho estarão sobre os seus rins; não se cingirão de modo que lhes venha suor.

 

 Vocabulário: Serafins = Anjos de primeira grandeza  

 

Os instrutores  voando  com asas

 Isaias - Cap. 6 - Vers. 1 a 13
 

1  No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e o seu séquito enchia o templo.

2  Os serafins estavam acima dele; cada um tinha seis asas: com duas cobriam o rosto, e com duas cobriam os pés, e com duas voavam.

3  E clamavam uns para os outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o SENHOR dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória.

4  E os umbrais das portas se moveram com a voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça.

5  Então, disse eu: ai de mim, que vou perecendo! Porque eu sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios; e os meus olhos viram o rei, o SENHOR dos Exércitos!

6  Mas um dos serafins voou para mim trazendo na mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz;

7  e com ela tocou a minha boca e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniqüidade foi tirada, e purificado o teu pecado.

8  Depois disso, ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então, disse eu: eis-me aqui, envia-me a mim.

9  Então, disse ele: Vai e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não percebeis.

10  Engorda o coração deste povo, e endurece-lhe os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; não venha ele a ver com os seus olhos, e a ouvir com os seus ouvidos, e a entender com o seu coração, e a converter-se, e a ser sarado.

11  Então, disse eu: até quando, Senhor? E respondeu: Até que se assolem as cidades, e fiquem sem habitantes, e nas casas não fique morador, e a terra seja assolada de todo.

12  E o SENHOR afaste dela os homens, e, no meio da terra, seja grande o desamparo.

13  Mas, se ainda a décima parte dela ficar, tornará a ser pastada; como o carvalho e como a azinheira, que, depois de se desfolharem, ainda ficam firmes,  assim a santa semente será a firmeza dela.

 

Isaias -  Cap. 30 - Vers.    20   a    21

 

20  Bem vos dará o Senhor pão de angústia e água de aperto, mas os teus instruidores nunca mais fugirão de ti, como voando com asas; antes, os teus olhos verão a todos os teus mestres.

21  E os teus ouvidos ouvirão a palavra que está por detrás de ti, dizendo: Este é o caminho; andai nele, sem vos desviardes nem para a direita nem para a esquerda.

 

 

Leremos a partir de agora alguns textos que se encontram no Segundo testamento.

Aproveita-se  para fazer um comentário à respeito do diálogo que Jesus faz com seus apóstolos nestes dois trechos iniciais abaixo.

Neste diálogo, a única forma  que faz sentido, é que Jesus estava falando à respeito deles mesmos, seus discípulos, para os auxiliar e que não veriam a morte até que Ele (Jesus) viesse em Glória, para julgar e arrebatar os seus. Faz sentido, quando Ele fala da morte em pecado.   Como o exemplo de Elias, que veio para anunciar a vinda de Jesus, e o próprio Jesus comenta que Elias veio e não o reconheceram, falando de João Batista.

Muitas igrejas não querem admitir ser Elias, o próprio João Batista, como disse Jesus aos seus apóstolos. Ele estava dando um exemplo claro de reencarnação, e ao mesmo tempo esclarecendo a forma que isso seria possível.

Jesus falava que alguns daqueles que ali estavam com Ele, não morreriam ( em pecado ) permanecendo vivos até o fim. Porque eram fieis aos mandamentos e não morreriam em pecado, continuando a sua peregrinação pelo mundo, renascendo em outras vidas até o final dos tempos, subtendendo-se que estariam ajudando a promessa de fidelidade até o fim.   No terceiro trecho, lê-se, em Mateus cap. 24 vers. 22. (Se aqueles dias não fossem abreviados, ninguém se salvaria. ) e no versículo 29, do mesmo texto, ele explica de que forma ou maneira será o final dos tempos.       O autor  acha que uma grande estrela deverá passar próximo da terra de tal forma que desequilibrará a mesma da órbita do sol, ao qual estamos presos, fazendo com que os céus e suas estrelas se fechem como um livro (como os profetas descreveram). A terra será atraída por esta nova estrela, que com o seu calor muito maior que o calor do sol, fará com que tudo se funda como se fosse  um maçarico fundindo metal. E aqueles cujo nome não estiverem escritos no livro da vida, por não terem conseguido resgatar a sua própria alma do Hades,  (inferno) esses se fundirão com a terra na sua trajetória final.                      

 

S.    Mateus - Cap. 16 – Vers.   27  e  28

 

27  Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e, então, dará a cada um segundo as suas obras.

28  Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do Homem no seu Reino.

 

S.  Mateus  - Cap. 17 - Vers.  1   a   13 

 

1  Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte.

2  E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.

3  E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele.

4  E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés e um para Elias.

5  E, estando ele ainda a falar, eis que uma nuvem luminosa os cobriu. E da nuvem saiu uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o.

6  E os discípulos, ouvindo isso, caíram sobre seu rosto e tiveram grande medo.

7  E, aproximando-se Jesus, tocou-lhes e disse: Levantai-vos e não tenhais medo.

8  E, erguendo eles os olhos, ninguém viram, senão a Jesus.

9  E, descendo eles do monte, Jesus lhes ordenou, dizendo: A ninguém conteis a visão até que o Filho do Homem seja ressuscitado dos mortos.

10  E os seus discípulos o interrogaram, dizendo: Por que dizem, então, os escribas que é mister que Elias venha primeiro?

11  E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro e restaurará todas as coisas.

12  Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do Homem.

13  Então, entenderam os discípulos que lhes falara de João Batista.

 

S.   Mateus - Cap. 24 - Vers. 14   a    33

 

14  E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim.

15  Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo (quem lê, que entenda),

16  então, os que estiverem na Judéia, que fujam para os montes;

17  E quem estiver sobre o telhado não desça a tirar alguma coisa de sua casa;

18  E quem estiver no campo não volte atrás a buscar as suas vestes.

19  Mas ai das grávidas e das que amamentarem naqueles dias!

20  E orai para que a vossa fuga não aconteça no inverno nem no sábado,

21  Porque haverá, então, grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco haverá jamais.

22  E, se aqueles dias não fossem abreviados, nenhuma carne se salvaria; mas, por causa dos escolhidos, serão abreviados aqueles dias.

23  Então, se alguém vos disser: Eis que o Cristo está aqui ou ali, não lhe deis crédito,

24  porque surgirão falsos cristos e falsos profetas e farão tão grandes sinais e prodígios, que, se possível fora, enganariam até os escolhidos.

25  Eis que eu vo-lo tenho predito.

26  Portanto, se vos disserem: Eis que ele está no deserto, não saiais; ou: Eis que ele está no interior da casa, não acrediteis.

27  Porque, assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até ao ocidente, assim será também a vinda do Filho do Homem.

28  Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão as águias.

29  E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas.

30  Então, aparecerá no céu o sinal do Filho do Homem; e todas as tribos da terra se lamentarão e verão o Filho do Homem vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória.

31  E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus.

32  Aprendei, pois, esta parábola da figueira: quando já os seus ramos se tornam tenros e brotam folhas, sabeis que está próximo o verão.

33  Igualmente, quando virdes todas essas coisas, sabei que ele está próximo, às portas

 

Estas passagens que acabamos de ler, é um comentário na descrição fantástica do final dos tempos. Procura-se entender sem ignorá-lo. É demasiado forte para os materialistas, que buscam os prazeres da vida, procurando tudo o que podem angariar para si só ou para sua família, esquecendo dos problemas do seu próximo e dos paises mais sofridos. Ignoram os problemas como ignoram as advertências espirituais, achando que o julgamento só é material e humano. Procuram desacreditar toda advertência vinda das Escrituras sagradas, feitas por aqueles que ficariam até o final dos tempos para perpetuar as revelações Bíblicas.

Não se vê nenhuma chance para a humanidade e o lindo Planeta Azul, como é visto e descrito fora de órbita.    Tanto nos relatos de Mateus, como em  outros profetas e apóstolos, esta advertência nos é dada da seguinte forma: Os prazeres da vida material e as tentações para os seres humanos são tão grandes, que mesmo os escolhidos ou aqueles que ficariam até a vinda do Sr. Jesus com os seus Anjos para o arrebatamento, não resistiriam e acabariam morrendo em pecado. Por isso esses dias ou tempos, deverão ser abreviados.

Analise , caro leitor, por você mesmo e após ler estes trechos tire a sua própria conclusão.     

 

Atos - Cap. 2 – Vers 1 a 36

 

1   Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar;

2  e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados.

3  E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles.

4  E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

5  E em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu.

6  E, correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua.

7  E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! Não são galileus todos esses homens que estão falando?

8  Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos?

9  Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, e Judéia, e Capadócia, e Ponto, e Ásia,

10  e Frígia, e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos (tanto judeus como prosélitos),

11  e cretenses, e árabes, todos os temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus.

12  E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?

13  E outros, zombando, diziam: Estão cheios de mosto.

14  Pedro, porém, pondo-se em pé com os onze, levantou a voz e disse-lhes: Varões judeus e todos os que habitais em Jerusalém, seja-vos isto notório, e escutai as minhas palavras.

15  Estes homens não estão embriagados, como vós pensais, sendo esta a terceira hora do dia.

16  Mas isto é o que foi dito pelo profeta Joel:

17  E nos últimos dias acontecerá, diz Deus, que do meu Espírito derramarei sobre toda a carne; e os vossos filhos e as vossas filhas profetizarão, os vossos jovens terão visões, e os vossos velhos sonharão sonhos;

18  e também do meu Espírito derramarei sobre os meus servos e minhas servas, naqueles dias, e profetizarão;

19  e farei aparecer prodígios em cima no céu e sinais em baixo na terra: sangue, fogo e vapor de fumaça.

20  O sol se converterá em trevas, e a lua, em sangue, antes de chegar o grande e glorioso Dia do Senhor;

21  e acontecerá que todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

22  Varões israelitas, escutai estas palavras: A Jesus Nazareno, varão aprovado por Deus entre vós com maravilhas, prodígios e sinais, que Deus por ele fez no meio de vós, como vós mesmos bem sabeis;

23  a este que vos foi entregue pelo determinado conselho e presciência de Deus, tomando-o vós, o crucificastes e matastes pelas mãos de injustos;

24  ao qual Deus ressuscitou, soltas as ânsias da morte, pois não era possível que fosse retido por ela.

25  Porque dele disse Davi: Sempre via diante de mim o Senhor, porque está à minha direita, para que eu não seja comovido;

26  por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; e ainda a minha carne há de repousar em esperança.

27  Pois não deixarás a minha alma no Hades, nem permitirás que o teu Santo veja a corrupção.

28  Fizeste-me conhecidos os caminhos da vida; com a tua face me encherás de júbilo.

29  Varões irmãos, seja-me lícito dizer-vos livremente acerca do patriarca Davi que ele morreu e foi sepultado, e entre nós está até hoje a sua sepultura.

30  Sendo, pois, ele profeta e sabendo que Deus lhe havia prometido com juramento que do fruto de seus lombos, segundo a carne, levantaria o Cristo, para o assentar sobre o seu trono,

31  nesta previsão, disse da ressurreição de Cristo, que a sua alma não foi deixada no Hades,   nem a sua carne viu a corrupção.

32  Deus ressuscitou a este Jesus, do que todos nós somos testemunhas.

33  De sorte que, exaltado pela destra de Deus e tendo recebido do Pai a promessa do Espírito Santo, derramou isto que vós agora vedes e ouvis.

34  Porque Davi não subiu aos céus, mas ele próprio diz: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita,

35  até que ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés.

36  Saiba, pois, com certeza, toda a casa de Israel que a esse Jesus, a quem vós crucificastes, Deus o fez Senhor e Cristo.

 

Davi como já  visto através da sua historia, cometeu adultério. Ao se aproximar de Betsabá mulher de um dos seus oficiais chamado Urias, conviveu com ela e mandou seu marido para frente de batalha onde foi morto, em combate. Com esse ocorrido, acabava de assinar a sua sentença, perante as Leis Divinas.

Quando caiu na realidade e percebeu o que tinha feito, prostrou-se diante do Senhor implorando para que Ele  não o abandonasse. Reconhecia que desobedecera os Seus Mandamentos e desapontara o seu povo. Em vista disto,  Deus lhe promete mais uma chance.   Ele teria que resgatar por suas próprias forças, a sua alma do hades ( inferno  ) e restituir a confiança depositada por Deus nele.   Pois esse era o Seu escolhido, para comandar  O Plano Cristão.  E  que o fizera como Jesus Cristo, como exalta Pedro no seu discurso, no dia de pentecostes.           

 

Locomoção do apóstolo Filipe

 

Atos  - Cap. 8 - Vers.  36 a 40

 

36  E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado?

37  E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus.

38  E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou.

39  E, quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe, e não o viu mais o eunuco; e, jubiloso, continuou o seu caminho.

40  E Filipe se achou em Azoto e, indo passando, anunciava o evangelho em todas as cidades, até que chegou a Cesaréia.

 

As visões de Pedro

Atos - Cap. 10  - Vers. 9  a  22

 

9  E, no dia seguinte, indo eles seu caminho e estando já perto da cidade, subiu Pedro ao terraço para orar, quase à hora sexta.

10  E, tendo fome, quis comer; e, enquanto lhe preparavam, sobreveio-lhe um arrebatamento de sentidos.

11  E viu o céu aberto e que descia um vaso, como se fosse um grande lençol atado pelas quatro pontas, vindo para a terra,

12  no qual havia de todos os animais quadrúpedes, répteis da terra e aves do céu.

13  E foi-lhe dirigida uma voz: Levanta-te, Pedro! Mata e come.

14  Mas Pedro disse: De modo nenhum, Senhor, porque nunca comi coisa alguma comum e imunda.

15  E segunda vez lhe disse a voz: Não faças tu comum ao que Deus purificou.

16  E aconteceu isto por três vezes; e o vaso tornou a recolher-se no céu.

17  E, estando Pedro duvidando entre si acerca do que seria aquela visão que tinha visto, eis que os varões que foram enviados por Cornélio pararam à porta, perguntando pela casa de Simão.

18  E, chamando, perguntaram se Simão, que tinha por sobrenome Pedro, morava ali.

19  E, pensando Pedro naquela visão, disse-lhe o Espírito: Eis que três varões te buscam.

20  Levanta-te, pois, e desce, e vai com eles, não duvidando; porque eu os enviei.

21  E, descendo Pedro para junto dos varões que lhe foram enviados por Cornélio, disse: Sou eu a quem procurais; qual é a causa por que estais aqui?

22  E eles disseram: Cornélio, o centurião, varão justo e temente a Deus e que tem bom testemunho de toda a nação dos judeus, foi avisado por um santo anjo para que te chamasse a sua casa e ouvisse as tuas palavras.

 

 

Neste trecho que leremos abaixo nota-se o seguinte:   Pedro estava guardado por soldados fortemente armados, acorrentado no interior da cela, com portas de ferro trancadas que o separavam da rua.  Houve uma materialização do Anjo na cela e as correntes e fechaduras se abriram ao mesmo tempo.  No dia seguinte os soldados ficaram sem saber o que havia acontecido.  O rei Herodes fez uma inquisição nos soldados, mas ficou sem explicação. 

 

Atos  -  Cap. 12 Vers.   6   a   11

 

6  E, quando Herodes estava para o fazer comparecer, nessa mesma noite, estava Pedro dormindo entre dois soldados, ligado com duas cadeias, e os guardas diante da porta guardavam a prisão.

7  E eis que sobreveio o anjo do Senhor, e resplandeceu uma luz na prisão; e, tocando a Pedro no lado, o despertou, dizendo: Levanta-te depressa! E caíram-lhe das mãos as cadeias.

8  E disse-lhe o anjo: Cinge-te e ata as tuas sandálias. E ele o fez assim. Disse-lhe mais: Lança às costas a tua capa e segue-me.

9  E, saindo, o seguia. E não sabia que era real o que estava sendo feito pelo anjo, mas cuidava que via alguma visão.

10  E, quando passaram a primeira e a segunda guarda, chegaram à porta de ferro que dá para a cidade, a qual se lhes abriu por si mesma; e, tendo saído, percorreram uma rua, e logo o anjo se apartou dele.

11  E Pedro, tornando a si, disse: Agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de tudo o que o povo dos judeus esperava.

Entre os oficiais romanos com grande valentia e o desejo de perseguir os cristãos a mando dos sacerdotes judeus, estava Paulo, até então um fiel soldado romano.  Certo  dia  teve um encontro com a Gloria do Senhor, comandada por Jesus Cristo seu mediador e isto causou  sua conversão.

Leiamos abaixo:

 

Atos – Cap. 8 Vers. 1 a 3.

 

1  E também Saulo consentiu na morte dele.( Estêvão.)   E fez-se, naquele dia, uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judéia e da Samaria, exceto os apóstolos.

2  E uns varões piedosos foram enterrar Estêvão e fizeram sobre ele grande pranto.

3  E Saulo assolava a igreja, entrando pelas casas; e, arrastando homens e mulheres, os encerrava na prisão.

 

 

Nota-se que Jesus já tinha sido crucificado.  Paulo não  havia conhecido Jesus em vida; No entanto, após a sua conversão naquele dia, foi considerado apóstolo por aqueles que verdadeiramente conviveram com Jesus.   

 

Atos – Cap.  26 – vers. 12  a  15

 

12  Sobre o que, indo, então, a Damasco, com poder e comissão dos principais dos sacerdotes.

13  Ao meio-dia, ó rei, vi no caminho uma luz do céu, que excedia o esplendor do sol, cuja claridade me envolveu a mim e aos que iam comigo.

14  E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me falava e, em língua hebraica, dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra os aguilhões.

15  E disse eu: Quem és, Senhor? E ele respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues.

 

 

E algumas passagens do primeiro testamento serão transcritas, juntamente com outras do Segundo testamento,  para complementação do texto.

 

Salmos -  Cap. 99  Vers.  1   a    9     

 

1  O SENHOR reina; tremam as nações. Ele está entronizado entre os querubins; comova-se a terra.

2  O SENHOR é grande em Sião e mais elevado que todas as nações.

3  Louvem o teu nome, grande e tremendo, pois é santo.

4  E a força do Rei ama o juízo; tu firmas a eqüidade, fazes juízo e justiça em Jacó.

5  Exaltai ao SENHOR, nosso Deus, e prostrai-vos diante do escabelo de seus pés, porque ele é santo.

6  Moisés e Arão, entre os seus sacerdotes, e Samuel, entre os que invocam o seu nome, clamavam ao SENHOR, e ele os ouvia.

7  Na coluna de nuvem lhes falava; eles guardavam os seus testemunhos e os estatutos que lhes dera.

8  Tu os escutaste, SENHOR, nosso Deus; tu foste um Deus que lhes perdoaste, posto que vingador dos seus feitos.

9  Exaltai ao SENHOR, nosso Deus, e adorai-o no seu santo monte, porque o SENHOR, nosso Deus, é santo.

 

Leiamos a descrição de visões que parecem ser discos voadores: “O trono dos sete espíritos de Deus. “

Apocalipse - Cap. 4 - Vers.     5  a  11

 

5  E do trono saíam relâmpagos, e trovões, e vozes; e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo, as quais são os sete Espíritos de Deus.

6  E havia diante do trono um como mar de vidro, semelhante ao cristal, e, no meio do trono e ao redor do trono, quatro animais cheios de olhos por diante e por detrás.

7  E o primeiro animal era semelhante a um leão; e o segundo animal, semelhante a um bezerro; e tinha o terceiro animal o rosto como de homem; e o quarto animal era semelhante a uma águia voando.

8  E os quatro animais tinham, cada um, respectivamente, seis asas e, ao redor e por dentro, estavam cheios de olhos; e não descansam nem de dia nem de noite, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor Deus, o Todo-poderoso, que era, e que é, e que há de vir.

9  E, quando os animais davam glória, e honra, e ações de graças ao que estava assentado sobre o trono, ao que vive para todo o sempre,

10  os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, adoravam o que vive para todo o sempre e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo:

11  Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder, porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas.

 

Apocalipse - Cap. 10 - Vers. 1

1  Vi outro anjo poderoso, que descia do céu vestido de uma nuvem. Sobre a cabeça trazia o arco-íris, o rosto era como o sol e os pés como colunas de fogo

 

 

Vamos ler agora uma passagem que se encontra no livro de Atos dos apóstolos, cap. 1 versículos 9 a 11. No versículo onze observa-se um fato interessante quanto à aparência dos anjos que falavam com os apóstolos naquele momento.

Tinham o aspecto humano, portanto, não causaram espanto com sua presença ao povo que estava ali reunido deslumbrado com o acontecido.

Podemos deduzir que no Universo, à comando de Deus, existem diversos tipos de pessoas se assim podemos chamar, ou seres, que se apresentam de diversos aspectos, formas e tamanhos. E para nós os humanos,  pode causar espanto. Mas temos que nos acostumar com estas diversas formas de apresentação; porém isso não é importante. O mais importante é seguirmos suas orientações e andarmos em caminhos retos segundo os Mandamentos deixados por Eles, “Os Anjos Maiores” que falaram e agiram segundo a vontade de Deus aqui na terra.

    

Atos – Cap. 1 – Vers. 9 a 11

 

9  E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.

10  E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois varões vestidos de branco,

11  Os quais lhes disseram: Varões galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.

 

Jeremias - Cap. 10 Vers. 1   a   2

1 Escutai a palavra que vos fala o Senhor , ó casa de Israel.

2 Assim diz o Senhor:  Não imiteis a conduta das nações, não vos espanteis com os sinais do céu ainda que as nações com eles se espantem.

 

I   São  Pedro  - Cap. 3 - Vers.  18  a   22 

 

18  Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus; mortificado, na verdade, na carne, mas vivificado pelo Espírito,

19  no qual também foi e pregou aos espíritos em prisão,

20  os quais em outro tempo foram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca; na qual poucas (isto é, oito) almas se salvaram pela água:

21  Que também, como uma verdadeira figura, agora vos salva, batismo, não do despojamento da imundícia da carne, mas da indagação de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo;

22  O qual está à destra  de Deus, tendo subido ao céu:  havendo-se-lhe sujeitado os anjos, e as autoridades, e as potências.

II    São Pedro - Cap. 1 - Vers. 16  a  21

 

16  Porque não vos fizemos saber a virtude e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo, seguindo fábulas artificialmente compostas, mas nós mesmos vimos a sua majestade.

17  Porquanto ele recebeu de Deus Pai honra e glória, quando da magnífica glória lhe foi dirigida a seguinte voz: Este é o meu Filho amado, em quem me tenho comprazido.

18  E ouvimos esta voz dirigida do céu, estando nós com ele no monte santo.

19  E temos, mui firme, a palavra dos profetas, à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia esclareça, e a estrela da alva apareça em vosso coração.

20  Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação.

21  Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.

 

 

 

Revista veja

17 de fevereiro de 1982  - Pag. 50

Titulo

O FASCÍNIO DO COSMOS .

Um corpo luminoso visto das Janelas de um jato reacende os debates sobre os discos voadores e a existência de vida fora da terra.

 

Os passageiros acordados do vôo 169 da VASP, que fazia a reta Fortaleza – São Paulo - Brasil – na madrugada de segunda-feira passada, ouviram com espanto a mensagem do comandante Gerson Maciel de Brito, transmitida pelo alto-falante. “Senhores passageiros”, anunciou calmamente Brito, “estamos observando possivelmente um objeto não identificado de grande luminosidade, do lado esquerdo do avião.” Nesse instante, exatamente às 3h12, quem dormia a bordo do Boeing 727 acordou  sobressaltado.  Uma das comissárias, emocionada, avisou quase aos gritos:  “Tem um disco voador lá fora”. Todos avançaram para a janela  do lado esquerdo – e lá estava, de fato, o objeto luminoso. “Parecia umas oito  estrelas juntas, com um clarão azulado”, conta a estudante e fótografa paulista Ligia Rodrigues, 23 anos. “Era como uma bola de futebol incandescente”, diz Elane Belache, 28 anos, que terminaria a viagem no Rio de Janeiro. “Andava mais rápido que o avião”, lembra, ainda perplexo, Walter Macedo, 47 anos, funcionario aposentado do Jockey Club de São Paulo.

Entre os 151 passageiros que olhavam curiosos, fotografavam e filmavam das janelas, um se manteve inteiramente alheio à generalizada confusão que irrompeu no Boeing 727 da Vasp. Dom Aloisio Lorscheider, cardeal-arcebispo de Fortaleza, acordou com o comunicado do comandante e, indiferente aos mistérios do céu, quedou-se imóvel em sua poltrona. Sua explicação:  “Preferi deixar o disco voador para lá”. Essa mesma linha prudente de conduta foi seguida pelo falecido jurista Orozimbo Nonato, que jurou ter visto um disco voador quando ocupava a presidencia do Supremo Tribunal Federal. Viu, mas fez que não viu. Interrogado pelo deputado Adalto Lúcio Cardoso sobre as razões do segredo, Nonato confidenciou: “Um presidente do Supremo não pode ver discos voadores”. No caso do avião da Vasp, contudo, havia testemunhas de sobra. O objeto surgiu ao lado do avião sobre a cidade de Petrolina. Em Pernambuco, e o seguiu durante uma hora e meia. 

      


 Fim da reportagem da Revista Veja.

 

 

Diário Popular    -  11 de fevereiro de 1982  Pag. 3.

Reportagem de pagina inteira, dando continuidade à reportagem acima.

Titulo:       HÁ QUALQUER COISA DE ESTRANHO NO CÉU DO BRASIL.

 

Crer ou não crer eis a questão!

À parte do testemunho idôneo do comandante Geraldo de Brito e da tripulação do Boeing  727, da Vasp, que fazia a rota Fortaleza-Rio, na madrugada da ultima segunda- feira, e de comandantes e tripulação de mais dois aparelhos - um avião da Aerolineas Argentinas e o jato prefixo  177 da Trasbrasil - a presença de objetos não identificados foi intensificada, neste final e começo de ano.

Em dezembro ultimo, Francisca Rodrigues, dona de casa, e Maria Augusta Rodrigues, professora de física, respectivamente 71 e 35 anos, “esperavam   ônibus, num ponto de parada da rua Vergueiro, em Vila Mariana”, por volta  de 23 horas quando foram alertadas pela “meia dúzia de pessoas que ali estavam de  que “havia objetos estranhos no céu”.  Voando a uma altura incomum, “maior que um avião ou de um balão”, descreve Francisca, os luminosos aparelhos, de cores que variavam entre o vermelho, azul forte e azul claro”, descreveram órbita horizontal por “seguramente vinte minutos”.

Não houve tumulto, nem alarde. As pessoas olhavam curiosamente o céu, observando o desenrolar da operação do grande objeto azul e vermelho, seguido pelos azuis mais claros menores”. O ônibus veio e nós fomos embora, diz Francisca, que não afasta nem a idéia de ter visto um disco voador, nem a hipótese de existência de vida em outros planetas alem deste”. Mas a vida tem outras coisas a serem observadas, explica, e a gente esquece disso logo”. “Eles devem estar fazendo vôos de observação”, afirma consciente de seu “desconhecimento profundo sobre o assunto”.

Porém, não só a gente do povo, mas também pilotos da aviação nacional colocam-se meio na retaguarda, quando se questiona sobre a visão de objetos não identificados durante suas horas de vôo.

A justificativa é a de que “preferem não divulgar suas observações, muito embora elas sejam freqüentes”, devido, ora ao descrédito, ora à desinformação.

Mas a cronologia continua, de dezembro a fevereiro, com “visões estranhas no céu”.   No dia 18/12, um caminhoneiro de Corrientes, Argentina, foi transportado por cem quilômetros, com caminhão e tudo, “por uma inesperada e potente forte luz”. Juan Meneses, o caminhoneiro, foi vitima de grave crise nervosa, depois do estranho passeio.  Queimaduras na terra e rastro de vegetação calcinada, foram registrados a 700 quilômetros de Buenos Aires, em Derki, no final de dezembro, ao mesmo tempo em que piloto da aviação comercial denunciava a presença de Ovnis no espaço aéreo argentino.

O economista Celso furtado, ( membro da Academia de Letras com cadeira de n: 11;  Indicado a premio nobel em 2003, e falecido à 20 de novembro de 2004, com 84 anos). Alega ter visto um Ovni, em Belém do Pará, em 1979, por ocasião da realização de um encontro da SBPC. Ele informa, ainda que o mesmo fenômeno foi observado pelo sociólogo Fernando Henrique Cardoso e sua esposa Ruth Cardoso. ( Após 23 anos deste ocorrido o Sr. Fernando Henrique Cardoso, assumiria o cargo de Presidente da Republica do Brasil e Da. Ruth, de Primeira dama da Nação, por oito ano de mandato ).

No ultimo domingo, o fato repetiu-se em Ouro Preto, Minas, testemunhado por vários moradores.  No Observing Ufos, livro do pesquisador da Nasa, Richard Heines, foram relatados 3 mil casos em todo o mundo, nos mais diversos locais.  Mas, por enquanto, as autoridades brasileiras não chegaram a um denominador comum sobre o assunto.

Yeda Souza  Santos

 

 

 

Em Ouro Preto também

OuroPreto -  Centenas de moradores de Antonio Dias presenciaram, na noite de domingo, as evoluções de um objeto luminoso, de contorno oval, bem definido, que surgiu atrás da Serra de Ouro Preto e desapareceu no pico do Itacolomi, ao sul, após descrever uma série de trajetórias irregulares.

Muito luminoso, emitindo raios semelhantes aos da luz de mercúrio, foi como uma das testemunhas, o professor Helio Pereira, do Colégio Estadual, descreveu o objeto. Ele o avistou às 18h25m e logo telefonou a vários amigos, em diferentes pontos da cidade, pedindo que observassem a aparição, alem de chamar parentes e visinhos para testemunhá-la.

O professor descartou a hipótese de ter confundido o objeto não identificado com satélite ou meteorito, afirmando que está acostumado a observar tais aparições.  Nessa noite, umas três horas depois, após passar muito tempo vasculhando o céu, tentando ver de novo o objeto, aliás muito bonito, enxerguei um meteorito, que descreveu uma trajetória luminosa deixando atrás um rastro de fumaça. Tive a oportunidade de comparar a diferença que existia entre os dois fenômenos.

 

Viu Ovni -  em  1958

Belo Horizonte

O presidente  do Cicoani – Centro de Investigação Civil de Objetos Aéreos Não Identificados, psicólogo Hurvio Brant Aleixo, revelou anteontem que a entidade tem em seu fichário 20 relatos de pilotos de avião que viram um Ovni e que fazem parte do livro do pesquisador da Nasa Richard Heines, “Observing Ufos”, que relata 3 mil casos em todo o mundo.

Um dos pilotos, José Rafael Martins, 56 anos, aposentado como piloto de combate da FAB, com 7 mil horas de vôo, disse que viu um Ovni no dia 7 de maio de 1958.

Ele pilotava um DC3, com cerca de 30 passageiros, que saíra de São Luis (MA) vinha pra Belo Horizonte. O Ovni foi visto por diversas vezes pelo piloto em um espaço de três horas, entre Terezina e Bom Jesus da Lapa (Baía).

O avião pertencia à antiga Companhia Real de Tranasportes Aérios, incorporada poucos anos depois pela Varig. O piloto acredita que a área onde o seu Ovni foi visto pela última vez é a mesma onde o comandante do vôo 169 da Vasp, Gerson Maciel de Brito, avistou à esquerda do seu avião, uma forte sinalização luminosa, na madrugada de segunda feira, quando sobrevoava Bom Jesus da Lapa.

 

Admitiu

Brasilia – O chefe da Divisão de Operações do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo ( Cindacta), major José Orlando Belon, admitiu anteontem a possibilidade de existência de discos voadores, mas destacou que ”provavelmente eles teriam um sistema para impedir sua detecção pelo radar.

Embora não admitindo que o objeto visualizado seja um disco voador “mas sim um Ovni “, o engenheiro de vôo, Francisco Casarino, que na madrugada de segunda feira testemunhou também a presença de um corpo luminoso acompanhando o vôo 169 da  Vasp com destino ao Rio de Janeiro, alem de considerar bastante fiel o relato feito pelo comandante da aeronave, disse que a luminosidade surgiu mais nitidamente quando o aparelho sobrevoava Belo Horizonte.  E completou:   “Eu não fiquei nervoso, mas bastante emocionado. E espero ver novamente esse objeto que, além de ter uma luz forte que diminuía e aumentava de intensidade, mudava para as cores avermelhado e alaranjado”.

Francisco Casiano 29 anos, há dois anos voando na aviação comercial, confessou que sempre admitiu existir algo extraterrestre, embora nunca tivesse tido a oportunidade de ter presenciado algo parecido. Segundo ele, ao sobrevoar Belo Horizonte “deu a impressão de que o aparelho iria passar sobre o objeto luminoso, e a aparelhagem da aeronave não detectou nada de estranho”.

Cesarino disse ainda que não houve motivo para ficar nervoso, mas sim apreensivo: “’é um fato anormal um corpo se deslocar no espaço”.                   

Por sua vez, o primeiro oficial do vôo 169 da Vasp, Carlos Alberto Goes de Brito, embora afirmasse que não sentiu medo, mas sim curiosidade, disse ainda que nunca presenciou nada semelhante nos 10 anos que trabalha nessa empresa. “E se puder colaborar de alguma maneira estou à disposição de quem quiser maiores informações para fins científicos”.                                                                         

Afirmando que já tomou conhecimento de relatos de visualização desse tipo de objetos, Carlos Alberto de Brito, 35 anos, disse que não conseguiu determinar a forma desse objeto luminoso, que tinha uma luminosidade muito intensa, nos tons alaranjado e vermelho “. E garantiu que o relato feito pelo comandante do aparelho, Gelson Brito, foi perfeito e muito bem descrito. E mais “na hora do vôo, que eu saiba, ninguém ficou com medo, mas curioso”.

Alucinado

‘Um meteorito? Um balão  meteorológico acompanhando uma aeronave por mais de uma hora e trinta minutos a uma velocidade de, aproximadamente, 970 quilômetros horários?   Isso é absurdo”,  exclamava o comandante Floriano  Sergio Pacheco, 43 anos e há 22 anos trabalhando pela Vasp.

Segundo seus conhecimentos, nas 17 mil horas de vôo que possui, existe, “sem dúvida alguma, objetos extraterrenos. E os que não acreditam são alucinados. Não somos os únicos, mas os últimos. Não estamos sós no universo.

Existe gente que nos observa e que a qualquer momento intervirá, na tentativa de evitar qualquer catástrofe. Isso que foi constatado foi apenas uma evidência.

Devemos considerar esse acontecimento sem colocar nenhuma suspeita. Somos, ainda, uma forma de vida bastante atrasada”.

Por ultimo, o comandante Floriano afirma que, com respeito ao medo dos terráqueos de objetos não identificados:  “ nunca vi a terra ser invadida por Ovnis, mas já vi paises serem invadidos estupidamente “.                                                           

- Bruno Torres -   

Fim da reportagem.

                                                                                                                                       

Como acabamos de ler esta série de reportagens, fica muito difícil ignorar fatos como estes relatados por pessoas comuns, autoridades e profissionais de várias áreas.

Porém para quem lê a bíblia de forma coesa e sem fanatismo ideológico, pode muito bem compreender tais aparições.

Leiamos a seguir mais algumas passagens:

 

I   Tessalonicenses  - Cap.  4  - Vers.  16   a  18

 

16  Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro.

17  Depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.

18  Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

 

 

São Judas irmão de Tiago, tem apenas um capitulo, e realça neste versículo abaixo, a posição muito clara quanto ao julgamento antecipado dos atos  das pessoas. Pois que nem o Arcanjo Miguel não ousou pronunciar julgamento, quando disputava o domínio de Moisés com o diabo. Mas disse:  O Senhor te repreenda! Deixando portanto, nas mãos de Deus, para que fosse repreendido. Ou seja, hoje muitos místicos estão seguindo tais aparições, e até mesmo cultuando os ditos”discos voadores”. Os que seguem a bíblia, sabem que o primeiro  mandamento de Deus é específico, devemos adorar somente a Deus! Fica bem claro para nós aqui na terra que, nem anjos, nem arcanjos ( no caso Miquel) não estão para julgar, e sim para interceder deixando o julgamento a Deus.

São Judas – Cap.1 vers 9

 

9  Mas o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda.

 

 

 

Apocalipse - Cap. 1 - Vers.    7    

 

7  Eis que vem com as nuvens, e todo olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim! Amém!

 

 

 

O Trecho que iremos ler abaixo, Lucas cap. 2  refere-se a anunciação do nascimento de Jesus cristo aos pastores de ovelhas. Neste ponto da passagem bíblica, Lucas está realçando a aparição dos anjos aos pastores com a descrição do que foi visto na época.

Está colocado entre trechos em que Jesus já está adulto, para fazermos a comparação da visão dos anjos e contatos com as pessoas à quem Eles, os Anjos, queriam transmitir alguma coisa. 

 

São Lucas - Cap. 2  - Vers. 8 a 15

 

8  Ora, havia, naquela mesma comarca, pastores que estavam no campo e guardavam durante as vigílias da noite o seu rebanho.

9  E eis que o anjo do Senhor veio sobre eles, e a glória do Senhor os cercou de resplendor, e tiveram grande temor.

10  E o anjo lhes disse: Não temais, porque eis aqui vos trago novas de grande alegria, que será para todo o povo:

11  Pois, na cidade de Davi, vos nasceu hoje o Salvador, que é Cristo, o Senhor.

12  E isto vos será por sinal: achareis o menino envolto em panos e deitado numa manjedoura.

13  E, no mesmo instante, apareceu com o anjo uma multidão dos exércitos celestiais, louvando a Deus e dizendo:

14  Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens!

15  E aconteceu que, ausentando-se deles os anjos para o céu, disseram os pastores uns aos outros: Vamos, pois, até Belém e vejamos isso que aconteceu e que o Senhor nos fez saber.

 

Lendo a passagem acima, fica difícil não relaciona-la  com algumas das reportagens mencionadas neste livro (teremos mais adiante, outros relatos de pessoas que tiveram contatos com discos voadores). Não podemos nos esquecer que Deus é o mesmo ontem, hoje e eternamente. Quando o relato acima ocorreu , a mais de 2000 anos atrás, a sociedade não tinha os recursos tecnológicos que você e eu temos hoje. É muito fácil eu descrever um Jato, ou avião ou mesmo helicóptero visto à noite com todas as luzes ligadas, pois temos várias referências; sabemos e entendemos  energia elétrica, solar e atômica. Já somos acostumados com aviões no céu, enfim, fica fácil interpretar uma aparição. Porém gostaria que o leitor se colocasse naquela época onde não se tinha a menor idéia do que era um objeto voador, com luzes e com som. (outro dia escutava um pastor evangélico fazendo um comentário que me chamou a atenção. Ele disse: “Imagine poder ver a Glória do Senhor  vindo do céu com seus anjos!”....... Quando ele dizia esta frase, ficou mais claro para mim, que muitas vezes estamos querendo algo fantasticamente sobrenatural, ao invés de uma comparação lógica e acessível a todos dentro da nossa realidade atual. Deus é o mesmo ontem e hoje, como os apóstolos afirmam, e eu creio que realmente Ele o é. Temos que tentar compreender o que os profetas, os pastores de ovelhas, o povo judeu e tantos outros entendiam sobre a”Glória do Senhor”. Eu não tenho dúvida  que ao se referir à Glória, estavam se referindo a forma de luz, energia emitida por tais objetos, os quais o povo nunca tinha visto algo parecido, podendo apenas comparar tal energia, com a Glória de Deus. A visão  dos pastores de ovelhas de São Lucas - Cap. 2  - Vers. 8 a 15 , acima descrito, ao meu entender, foi a de um disco voador que veio anunciar as boas novas e depois subiu junto com vários outros “discos”o que provocou a frase “uma multidão dos exércitos celestiais”.

O problema de hoje, é que muitas pessoas que estão à procura de sua existência, erroneamente, como no passado, estão cultuando estes “discos”.

O que leremos abaixo, nos adverte que não devemos correr atrás destas coisas. Jesus Cristo diz em Lucas:

São Lucas  - Cap. 17  - Vers.     22   a   25

22  E disse aos discípulos: Dias virão em que desejareis ver um dos dias do Filho do Homem e não o vereis.

23  E dir-vos-ão: Ei-lo aqui! Ou: Ei-lo ali! Não vades, nem os sigais,

24  porque, como o relâmpago ilumina desde uma extremidade inferior do céu até à outra extremidade, assim será também o Filho do Homem no seu dia.

25  Mas primeiro convém que ele padeça muito e seja reprovado por esta geração.

 

“Os anjos não se casam e não se dão a casamento.”

De certa forma todo  ser humano faz esta pergunta a si próprio. Será que no céu os anjos se casam?  Isto naturalmente em função do próprio convívio familiar existente em nosso meio. Mas, no versículo 34 e 35  que iremos ler abaixo, está  a resposta, bem clara. 

Fica difícil  para o  ser humano, imaginar determinadas circunstancias. Comparando as dimensões de nosso mundo com o resto do Universo, somos tão pequenos, que podemos nos imaginar como um grão de areia numa praia imensa.

 

São Lucas - Cap. 20 - Vers. 33 a 38

33  Portanto, na ressurreição, de qual deles será a mulher, pois que os sete por mulher a tiveram?

34     E, respondendo Jesus, disse-lhes: Os filhos deste mundo casam-se, e dão-se em casamento;

35     Mas os que forem havidos por dignos de alcançar o mundo vindouro, e a ressurreição dos mortos, nem hão de casar, nem ser dados em casamento;

36     Porque já não podem mais morrer; pois são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição.

37     E que os mortos hão de ressuscitar também o mostrou Moisés junto da sarça, quando chama ao Senhor Deus de Abraão, Deus de Isaque, e Deus de Jacó.

38     Ora Deus não é Deus de mortos, mas de vivos; porque para ele vivem todos.        

 

Segue abaixo algumas considerações:      

Em um artigo de uma página inteira publicado no jornal O Estado de São Paulo de domingo,  9 de Outubro de 1994 sobre ciência, com algumas ilustrações, fala-se da movimentação e dimensões do Universo até o ponto em que os cientistas puderam estudar.      

 Num dos trechos desta grande reportagem,  especificamente onde se fala de nossa galáxia, o numero aproximado de estrelas é  mencionado pelo astrofísico João Steiner (U.S.P.).     “Os aglomerados são estruturas importantes para investigação da evolução estelar. Concentrados em um espaço próximo, apresentam evolução diferenciada por causa de suas massas distintas.  A simulação dessas estruturas em computadores tem sido um dos recursos para avaliar suas idades, diz Steiner.

A Via Láctea tem aproximadamente 150 aglomerados, muitos no interior galáctico. O aglomerado de Ômega do Centauro é o maior e um dos mais belos. Visível a olho nu , na constelação do Centauro, junto ao Cruzeiro do sul a 16.500 anos–luz, reúne 100 mil estrelas e tem 15 bilhões de anos.  

Com binóculo, a formação pode ser vista como uma enorme mancha leitosa, lembrando um chumaço de algodão.  Por isso, durante a passagem do Harley,  em 1986, ela foi confundida com o corpo do cometa.  Já Messier 13, ou NGC 6205, é o maior aglomerado do hemisfério celeste norte, a 25 mil anos-luz de distância. Ele foi descoberto em 1714 por Edmond Halley, que também localizou Ômega do Centauro, em 1676, da ilha de Santa Helena, no Atlântico. Messier 13 deve ter 500 mil estrelas e também é visível a olho nu.

Um aglomerado, NGC 5694, pode estar escapando da Via Láctea e mergulhando no vazio intergaláctico.  A formação, a 85 mil anos-luz do núcleo galáctico, em posição oposta à do Sistema Solar, deve estar se deslocando a mais de 190 Km/s de acordo com os astrônomos Wiliam Halliam Harris e James Hesser. (U.C.)“.

O astrofísico no final deste trecho fala de um aglomerado de estrelas que mergulha no vazio intergaláctico  até a posição oposta ao nosso sistema solar: note-se que as dimensões do Universo fogem à capacidade humana de raciocínio e até aos cientistas estudiosos da matéria.  Mas faz-nos pensar que, sendo um Universo imenso (Já está provado que existem outros mundos inteligentes) não se está só nesse ponto isolado do universo.  Nos relatos de pessoas e estudiosos (no que se refere aos Óvnis ou seres de outros planetas,) existem milhares de reportagens que relatam o assunto, trazendo vários tipos de seres, figuras das mais estranhas para nós, até as semelhantes em formas físicas, como veremos à frente. Mas o ser humano pela sua limitação de inteligência,  tem medo do desconhecido à ponto do desespero até o pânico.  Ele bloqueia sua mente limitando seu conhecimento apenas naquilo que aprendeu na escola e em sua roda de amigos, o que nem sempre é muito saudável. Muitas vezes nem se  troca idéia com  amigos, com medo do  ridículo.   Então,  nossos valores passam a ser a troca do carro novo ou quanto se ganhou ou comprou naquele mês ou ainda no ultimo lançamento da moda de seu vestuário.         À partir do momento que se abrir a mente para algo mais elevado como a imensidão do Universo, ver-se-á que tudo está sobre controle em um equilíbrio perfeito e  começaremos a admitir outros mundos, outros seres não semelhantes a nós.   Mas sem denegrir aquilo que cremos em nossas  religiões.        Pois aquele que crê em um Deus único,  por razões obvias não vai deixar de crer.    O Universo tem regras e Leis conforme os  profetas nos transmitiram.  Pois Deus gerou o homem à Sua imagem e semelhança, no espelho do que existe no Universo.  Imagine-se  quando pela primeira vez um ser Oriental viu um Ocidental ou vice-versa. Um de olhos redondos e outro de olhos puxados, completamente diferentes um do outro ou quando um negro viu um branco pela primeira vez.  Pois bem, hoje neste terceiro milênio depara-se com uma historia já vivida anteriormente, apenas em menores proporções de impacto  -  não importa se existem milhares de outros seres diferentes ou não de nós -  Mas o  importante é que fazemos parte desse Universo e recebemos Leis para seguirmos, trazidas por esses seres  e  somos visitados por eles constantemente. Não podemos distingui-los de suas origens ainda, mas temos que respeitá-los, pois vem de um mundo,  sem duvida,  mais inteligente!                  

Nem por isso são todos bonzinhos; Da mesma forma, todos viemos de uma discórdia do Universo, estamos aqui para expiação, para uma correção. Temos que procurar nossas origens dentro de uma reeducação espiritual para podermos resgatar nossa alma, na obediência à Deus único, Senhor do Universo. 

Como poderíamos entender esta ligação?  Os seres terrenos, com os seres de outras galáxias ou mundos ?

A princípio os seres humanos utilizam apenas vinte e cinco por cento da capacidade do seu cérebro.  Nunca ninguém pensa nisso, porque se acha incompetente ou talvez pensa não ter capacidade de explorar mais a si mesmo. Põe-se  de lado deixando para os super-dotados ou cientistas e  preocupa-se apenas com seu bem estar familiar ou coisas materiais.

Certa vez, fazendo uma visita de negócios a um amigo no meio de um cafezinho,  falávamos sobre vários assuntos, entre eles contávamos algumas experiências pessoais. No meu caso dava aula de ensino religioso, sem remuneração, à noite em colégio publico.  E ele tinha uma fábrica de aparelhos para laboratórios , alem de ser de alta patente militar.  A certa altura da conversa eu contava sobre o relacionamento com os meus alunos e a curiosidade que eles tinham. E ele contava as experiências que fazia em seus laboratórios desde os tempos de ginásio. Aí ele me fez uma pergunta que me impressionou e provou a pouca importância que o ser humano dá para as coisas mais serias em relação ao Universo: “ Você crê que a terra gira em volta do sol? “ Minha resposta foi instintiva e imediata:  Claro, pelo menos é o que me ensinaram desde os primeiros dias de escola ! Ele pegou uma folha de rascunho e começou a desenhar e a me fazer algumas perguntas, que vou tentar reproduzir aos meus leitores:

 

 

Nos trezentos e sessenta e cinco dias do ano, não tendo nuvens à noite, nós veremos o mesmo panorama estrelar, com uma pequena variação em seu angulo, devido às quatro estações do ano.     

Só na América do Sul  vemos o cruzeiro do sul..  Na América do Norte,  As Três Marias,  etc. etc  Isso decorre do alinhamento das estrelas e a posição em que elas se encontram vistas de cada ângulo.  No entanto, se a terra se movesse alem dos graus percebidos por nós em relação às quatro estações do ano, (desenho um),  deixaríamos de avistar o Cruzeiro do Sul, como também As Três Marias.   Passaríamos a ver à cada estação do ano, um panorama diferente ou uma outra Galáxia, ou teríamos que admitir que o Sol seria o centro do Universo, Que não o é, naturalmente.   Então podemos admitir que a terra gira em um eixo imaginário em torno de si.  E por sua vez, está presa ao magnetismo do sol em forma de cone, tendo uma parte voltada para o sol, sendo ela iluminada e a parte escura (a sombra) voltada para a Via Láctea onde temos o panorama das estrelas, que nos encantam à noite!    

 

 

 

 


Os conceitos da humanidade poderão se alterar à medida que passamos a observar com mais tolerância o nosso dia a dia e paramos para pensar alguns instantes nas coisas que nos cercam.

Comentaremos  agora   uma publicação de jornal, da retratação do Vaticano, onde o Papa da Igreja Católica Romana pede desculpas pela condenação de Galileu Galilei – após três séculos de abstinência sobre o assunto! 

 

 Jornal - O Estado de São Paulo de domingo, 19 de fevereiro de 1989 -  Pag. 9.

Título do artigo

                 Repete-se o exemplo de Galileu

 

  Quadro do Julgamento de Galileu, Autor desconhecido

 

            A abjuração de Galileu, num quadro de Roberto Fleury: três séculos de condenação

Questionar dogmas e verdades religiosas, como ousou o escritor Salman Rushdie em seu livro” Versos Satânicos “, onde Maomé, o fundador do Islamismo, é apresentado como um mortal comum, sempre foi sinônimo de perigo para os que se arriscaram a dizer publicamente o que não está de acordo com a verdade dos livros sacros. O caso mais célebre da história é o do físico, matemático e astrônomo italiano Galileu Galilei ( 1564 – 1642 ), que, em 1613, publicou um livreto com o titulo: História e demonstração das Manchas Solares, dando origem a um dos processos penais mais descabidos da história da Inquisição da Igreja Católica, por demonstrar cientificamente que a Terra girava em torno do Sol e não o contrário, como defendia a Igreja.  Galileu Galilei foi proibido de ensinar o que havia descoberto.

Apesar da pressão, Galileu Galilei não desistiu. Dez anos depois da publicação da polêmica obra, ele ousou enfrentar a Igreja uma vez mais e publicou, - Ensaiador, onde apresentava uma reflexão cientifica de suas conclusões, ao mesmo tempo em que respondia uma a uma as acusações de seu inquisidor, o jesuita  Orazio Grassi. Incansável e isolado do mundo, Galileu  voltou novamente à carga nove anos depois com,  Diálogo sobre os Maiores Sistemas do Mundo, que provocou a ira do Santo Ofício.  Por defender idéias que hoje constam em todos os livros escolares de Estudos Sociais, acabou arrastado novamente aos tribunais da Inquisição. Durante o julgamento, foi obrigado a retratar-se.

“A proposição de que a Terra não é o centro do mundo nem imóvel, mas que ela se move, é uma proposição maldita e falsa em filosofia. Abjuro e maldigo com um coração sincero os erros e heresias que disse anteriormente”, admitiu Galileu sob tortura. A autocrítica de nada valeu. Enquanto os inquisidores decidiam condena-lo por tempo indeterminado, Galileu Galilei murmurou: “Eppur si muove”, ( no entanto, se move”). Só em 1980, com o papa João Paulo II, hoje já falecido, a Igreja reparou seu erro e absolveu Galileu Galilei.  Trezentos e cinqüenta anos depois!               

 

A  OVNI, revista trimestral especializada na pesquisa sobre Discos Voadores de n: 4 de Julho à setembro de 1979, relata o primeiro congresso Brasileiro de Ufologia no Brasil, na

noite de 15 de Março de 1978, no teatro Cultura Artística  ( São Paulo ). Estavam presentes as maiores autoridades sobre esse assunto.   Peguei apenas um parágrafo que tem como titulo - Uma estimativa moderna da situação Ufológica mundial. -  citada  pelo convidado especial, Dr. J. Allen Hyner.   

“Os relatórios sobre UFOs existem e persistem. No início pareciam ser uma moda passageira, pura bobagem que breve poderia desaparecer. No entanto, no Center for UFOs Studies (CUFOS) já se encontram arquivados mais de 75.000 relatórios provenientes de 133 países. “        

Fiz questão de mencionar este acontecimento tanto pela importância do fato relacionado aos Óvnis,  mas também pelo numero de relatórios existentes já naquela época sobre aparições, documentadas para estudos.  Muitos outros estudos foram feitos com programas de televisão baseados num livro ultra-secreto, o Blue Book, ( Livro Azul). Na base aérea de Wright Patterson, em Daytona, Ohio, nos Estados Unidos, fica localizado o centro internacional que cuida das questões sobre  objetos voadores não identificados. Dados estes fornecidos pela revista Gente Fatos e Fotos de Dezembro de 1978 . O projeto Livro Azul estudou entre 1953 / 66, -  10.147 ocorrências, das quais 646 foram consideradas sem explicações.

 

-Reportagem do Jornal –

Noticias Popular – 4: feira, 8 de outubro de 1975. – Pag. 3.

Luzes vermelhas e azuis nos céus de Brasília

 

No dia 15 de abril de 1971, Luis Gonzaga de Macedo enviava uma carta-depoimento ao general Alfredo Moacyr de Mendonça Uchoa, um dos maiores pesquisadores brasileiros sobre fenômenos no espaço e os Objetos Não Identificados ( Ovnis ) ou Ufos.

Diz o relato de Luis Gonzaga de Macedo:

- Era uma noite de janeiro de 1969. Estava escuro e o céu totalmente encoberto. Caia chuva fina. Estávamos na fazenda, no interior do carro estacionado ao lado do triângulo, de frente para a sede (da fazenda) eu, Luiz Macedo, minha esposa Nazaré e o nosso conhecido Luiz Afonso de Albuquerque. Em dado momento surgiram, ao norte, duas luzes de um vermelho pálido, que passaram a se deslocar em alta velocidade em sentido oposto uma da outra, para depois se reaproximarem. Quando afastadas, como se trocando sinais, apagavam-se e acendiam-se. Assim ficaram por cerca de cinco minutos até que, quando se achavam relativamente próximas uma da outra, deixaram escapar, da parte inferior, resteas de luz azul trianguladas, que eram projetadas em todas as direções. A seguir, as luzes vermelhas e azuis passaram a se deslocar a pequena velocidade. Estavam nesse momento, na altura da fazenda do Coronel Epitácio. Liguei então o pisca-pisca do carro, mas logo a seguir aquelas luzes se apagaram.

 

Luz na estrada

Continua a carta-depoimento de Luiz Gozaga Macedo:

-Comentávamos a beleza do fenômeno, quando notamos uma luminosidade na estrada, bem em frente ao carro. Pensamos, de início, tratar-se de projeção dos faróis do carro do Wilson Gusmão, que antes estava em nossa companhia, juntamente com seu cunhado José. Ambos haviam voltado à sede e prometeram voltar ao “triangulo de observações”. Entretanto, logo nos apercebemos de que não poderia ser luz dos faróis do carro de Wilson, devido à direção de onde  provinha. O pisca-pisca    permanecia ligado. Decidimos deixar o carro e subir ao triângulo, apesar da fina chuva que se fazia presente. Já estávamos no triangulo, voltados para a sede, quando, à nossa esquerda, relativamente próximo de nós, cerca de 100 metros ao alto, acenderam-se a luz vermelha e em seguida a azul, ambas projetadas em nossa direção. As luzes permaneceram acesas por pouco tempo, talvez uns segundos. Havia passado perto de dois minutos, quando as luzes voltaram a acender em nossa direção. Desta feita, apareceu bem a nossa  frente a luz vermelha, postada no alto, a Oeste. Agora, permaneceu mais tempo,  segundos, o que nos possibilitou observá-la em seus detalhes e  características. Surgia a luz azul abaixo da vermelha. Note bem: surgia, pois não foi notado nenhum farol que desse a origem. Expandia-se a partir do ponto em que se iniciava, abrindo-se em leque. Ao tocar o solo, cerca de 20 metros distante, em  vez de ali morrer, continuava a luz a se expandir como que rastejando até perto de nós. Porem, não chegou a luz a nos tocar, pois morria a um palmo de nossos pés, em linha reta a nossa frente. Detalhe curioso foi o da luz não extrapolar. Sua luminosidade cessava de vez, ao invés de ir diminuindo aos poucos, nas bordas, até desaparecer. Era como se fosse uma folha de papel luminosa. Apagaram-se primeiro a luz azul, depois a vermelha. Naquela noite, nada mais vimos. Foi esta a oportunidade em que pudemos assistir a um dos mais interessantes fenômenos naquela fazenda, dentre outros que testemunhamos. Brasília, 15 de abril de 1971. ass. Luiz Gonzaga Macedo e Luiz Gonzaga Macedo Filho.     

        

 Entrevista concedida a Adilson Machado no Diário Popular de 24/11/1977

“Quase todos que testemunharam aterragens de DVs se reportam à estranha autonomia de movimentação de fachos luminosos, partidos da nave. Tal é o caso do radialista Voalid Bin, que nos meados da década de 60, em São Paulo, (Brasil) deparou uma estranha nave pairando a meia centena de metros do solo, sobre um terreno baldio, na periferia da Capital.  Assim Bin descreveu na madrugada de 1965:   -   “Eu havia perdido o último ônibus - da meia-noite - e tive que esperar pelo “corujão “ das 3 da manhã. Andando a pé, depois do final da linha, só tinha um pensamento: o de seguir atento contra eventual assaltante            ( naquela época, como na nossa, os assaltos estavam na ordem do dia).  Tinha a mão direita no bolso, segurando firmemente um canivete aberto para uma possível defesa, em caso de ataque. Quase ao chegar em casa, comecei a me sentir intranqüilo, angustiado. Era como se “alguma coisa”  estivesse acontecendo dentro e fora de mim.

Olhei em volta, preocupado, mas não vi ninguém. Mas a sensação de mal-estar continuava, cada vez mais forte. Me sentia como um cachorro antes da briga, sabe como é ?  Todo arrepiado. Eu, que toda noite percorria o mesmo trajeto e nunca havia sentido nada. Não sou covarde. A possibilidade de um assalto me punha de sobreaviso, mas não com medo. Aquilo era diferente. Eu estava arrepiado e não sabia porque. Continuei caminhando - prosseguiu narrando Bin -  cada vez mais atento à espera de que qualquer coisa acontecesse e eu sabia que ia acontecer.

Cerca de dois quarteirões de minha casa eu vi a “coisa”. Estava lá, parada no ar, como se estivesse por cima de um terreno baldio. Era um disco muito grande, todo iluminado em volta, como um cinturão de janelinhas. Não girava. Apenas estava lá, no ar. Minha sensação de desconforto aumentou mais ainda. Me apavorei diante daquela “coisa” redonda e imóvel. Detive-me a contemplar a estranha nave, com os pensamentos fervendo dentro da minha cabeça. A gente sempre pensa em tanta coisa na vida… mas numa coisa daquelas, juro que nunca tinha pensado.                        

Senti que estava parado e arrepiado e tive um pensamento aterrador: aquela “coisa” poderia cair, explodir, sei lá. Queria estar longe. Foi só o pensamento, porque, na verdade, não pude me mover. Me surpreendi ainda mais por constatar que meus nervos não me obedeciam. Eu estava imobilizado, pregado ao chão. Comecei a suar às bicas, sempre apertando fortemente o canivete aberto, no bolso. Ai pensei: será que é a lamina do canivete? É possível que eles estejam pesquisando metais e eu tenho metal na mão. Tentei então me desfazer da arma, largar o canivete… inútil tentativa. Não consegui abrir a mão para largá-lo. Tomei consciência da minha posição, mais por instinto que por ver, realmente. Eu estava encostado à parede de uma casa, um sobrado, hirto,( parado, estacado, imóvel,arrepiado,)  olhando para o Disco-Voador. Era pura expectativa, diante de um quadro tão estranho e, porque não, ridículo.

Nisso -  narra Voalide, como se estivesse revendo a cena -  uma pequena porta retangular se abriu na parte debaixo do Disco, no fundo. O retângulo se iluminou, como se fora uma janela. Da abertura começou a sair alguma coisa indefinível. Era como se fosse, inicialmente, um facho de luz. Mas não era luz. A coisa era mole. Se mexia à medida em que se alongava para fora. Era um facho de luz mole!   Num átimo pensei que já tinha chegado em casa e que estava  dormindo em minha cama e sonhando com aquilo. Era isso. Eu estava sonhando. Luz mole não existe! A coisa era assim como uma tromba de elefante, percebe?  Era uma tromba de elefante, mas era luminosa. Não, não era luminosa… era feita de luz, juro! Era luz, mesmo. Ia saindo do Disco e à medida em que se encompridava ia se abrindo, na ponta, como um funil. E parece que me “cheirou”, do alto, pois se dirigiu na minha direção.”

A reação física era de pavor na alma do meu amigo Bin. As reações fisiológicas que ele só descreveu aos amigos mais íntimos, deixamos de mencionar em detalhes. Não é pra menos.

“A medida que se aproximava de mim - é Bin contando - ia se abrindo mais e mais. Ela, a luz, virtualmente “tateava” o ar, cheirava, apalpava, procurando alguma coisa: EU.

Projetou-se até a parede da casa onde eu me encontrava e a iluminou fortemente. Mas a luz não se espalhava, como qualquer lâmpada.

Você sabe que qualquer foco luminoso espalha claridade ao redor. Aquela coisa não espalhava nenhuma luzinha em volta.  Era sólida. Era só ela, a tromba de elefante feita de luz se abrindo numa grande roda na parede. E vindo na minha direção e eu sem poder me mover do lugar. Nem um dedo.

E então ela me alcançou. Sabe, como esses “spot lights” de palcos, que formam uma roda perfeita, e eu fiquei inteiramente dentro do circulo de luz. Olhando para cima, para dentro do “cano” de luz, eu via o interior da nave, mesmo apesar das curvas que o facho descrevia. Fui tomado de uma estranha sensação, como se estivesse na eminência de ser sugado para dentro daquele cano mole. Senti como se estivesse sendo examinado detidamente, como aqueles estetoscópios que os médicos põem na gente, para escutar por dentro. Não sei, agora, quanto tempo durou tudo aquilo. Não vi ninguém dentro da nave, era indistinto, mas me senti como se estivesse sem peso, pronto para ser aspirado para o seu interior.

Me pareceu que a coisa não durou muito. Depois de me examinar como se estivesse vendo dentro de mim -  eu mesmo tinha a sensação de ter virado vidro. Era como se eu pudesse olhar para o meu corpo e ver todos  os ossos do meu esqueleto. Eu me sentia transparente! E pensava que “eles” estavam me vendo exatamente assim.

Depois, vagarosamente a luz foi sendo recolhida, saindo de cima de mim e voltando para o interior da nave, diminuindo a boca do funil, até estar totalmente dentro do disco. Aí a portinha se fechou e o Disco começou a se deslocar, não muito rápido, para cima, em diagonal, até se  tornar um pontinho e sumir de vez, no céu. Só então me lembrei de tentar me mover novamente.  Consegui. Estava livre e não mais arrepiado.

Me movi, devagar, a princípio, tateando meus músculos. Estava normal outra vez. Tomei fôlego e parti numa corrida louca até em casa. Entrei esbaforido e narrei todo o acontecido à minha mulher.”

E aí termina a narrativa do radialista Voalide Bin, na época ainda operador de áudio da extinta Rádio São Paulo. Quando ele me contou sua estranha história, a emissora já fora vendida à rede de Emissoras Coligadas e transferida do bairro do Aeroporto para o centro da cidade, para a Rua 24 de Maio, 250, 7: andar.

Bin me contou a história com detalhes; diante de minha insistência em ouvir, pois soubera por outros companheiros de sua experiência com o “Mistério do Século”. Foi difícil, pois ele decidira se trancar em copas, evitando falar no assunto, com medo de ser tachado de louco, visionário e coisas assim. Sempre o encorajei, explicando que nosso interesse era tão-somente ouvir a verdade -  a sua verdade - e nunca escarnecer de coisas que ainda não compreendemos.

Toda pessoa que mente, o faz por uma compulsão de compensação psicológica, na tentativa de suprir deficiências físicas ou emocionais. Seu objetivo imediato é aparecer diante de seu interlocutor como o elemento capaz de fazer aquilo sobre o que está mentindo. Mentir para se esconder do convívio dos demais não é um procedimento usual. Como Voalide Bin, quantos neste mundo de Deus têm tido experiências e se calado, com medo do ridículo, com medo de serem considerados loucos? Um dia chegará em que todos esses irmãos poderão, livres e descontraidamente, contar suas experiências, com detalhes, para que nossos cientistas, convencidos da veracidade dos fenômenos, tenham com que trabalhar e elucidar o “Mistério do Século”.         

 

Como vimos acima, a reportagem de Adilson com o Radialista Voalide Bin é autentica e termina com a frase “ Mistério do Século”.    Eu diria  Mistério da Humanidade, porque como estamos analisando os relatos Bíblicos, podemos garantir que eles nos acompanham desde o inicio da nossa história!

Realidade    Março de 1976 n. 120
Editora Abril  -   São Paulo  -  Brasil

 

 Artigo: SEQÜESTRADO POR UM DISCO VOADOR

Quando o motorista argentino Dionísio Llanca contou sua aventura, ninguém acreditou. Mas uma equipe de cientistas examinou-o durante 45 dias. E concluiu que ele não havia mentido. 

Já passava da meia-noite quando Dionísio Llanca desligou a televisão e saiu da casa de seu tio Enrique Ruiz, em Bahía Blanca, no sul da Argentina. Caminhou oito quarteirões até onde deixara seu caminhão, carregado com materiais de construção. Decidira aproveitar aquela madrugada do dia 28 de outubro de 1973 para viajar até Rio Gallegos, na província de Santa Cruz, mais ao sul, onde entregaria a carga do caminhão. Mas não completou essa viagem: uma hora depois, numa curva da Rota Nacional 3, a uns 19 quilômetros de Bahía Blanca, Dionísio foi seqüestrado por um disco voador, que o abandonou depois, completamente desnorteado, a 9 quilômetros dali.

O caso despertou o interesse de investigadores científicos. Uma equipe formada por médicos, psicólogos, psiquiatras e hipnólogos submeteu Dionísio Llanca a exaustivas séries de testes. Em várias sessões de hipnose e narcoanálise, ele sempre contou a mesma história.

Era 1h30 da madrugada quando parou seu caminhão no acostamento da estrada e desceu para examinar os pneus. Suspeitava de que um deles estivesse furado e esse receio se confirmou. Já estava colocando o macaco para trocar o pneu quando percebeu uma luz, um clarão amarelo sobre o pequeno bosque ao lado da estrada, junto a um córrego. Julgou de início que eram os faróis de iodo de um automóvel. Mas, de repente, a luz cresceu sobre a sua cabeça, iluminando as copas das árvores e resplandecendo sobre a superfície do córrego. Assustado, Dionísio largou sua ferramenta. E foi paralisado de assombro que avistou, a poucos metros de distância, três seres de aparência estranha. Vestiam macacões cinzentos colados ao corpo, luvas e botas alaranjadas. Tinham compridas cabeleiras ruivas, ombros muito largos e mais ou menos a mesma estatura: cerca de 1m 85.

Dionísio não conseguiu esboçar qualquer gesto de defesa quando um dos seres se aproximou e picou o dedo indicador de sua mão direita com um aparelho, parecido com um barbeador elétrico. Nesse momento, o motorista de caminhão perdeu totalmente os sentidos e só voltou a si 48 horas depois, num leito do Hospital Municipal de Bahía Blanca.

Ainda no hospital, ele começou aos poucos a recuperar a memória.

 

Logo pôde relembrar detalhes de seu fantástico seqüestro. Seu caso apareceu nos Jornais e, pouco depois, Dionísio era interrogado pela polícia. Acompanhado por um grupo de policiais, ele saiu à procura do caminhão, que foi encontrado no lugar que descrevera. Estava lá o pequeno bosque, o córrego e também os 150 000 pesos que ele dissera ter deixado no porta-luva. A curiosidade em torno do caso aumentou. No dia 5 de novembro, Dionísio foi procurado por um grupo de cientistas e concordou em se submeter a qualquer prova para testar a veracidade de seu relato.

Durante 45 dias, sob rigoroso controle médico, Dionísio Llanca foi examinado. Em transe hipnótico, ele fez, a pedido, diversos desenhos mostrando o que vira naquela madrugada de 28 de outubro. Num deles aparece o seu caminhão e a luz  amarelada, ainda distante. Em outro, já aparece a uns 5 metros acima das árvores. Nestes desenhos, Dionísio registra um detalhe que viria a ter especial importância: um cabo de alta tensão que atravessa o pequeno bosque. 

Nessas sessões de hipnose, Dionísio contou coisas que não conseguia lembrar quando estava consciente. Relatou, por exemplo, que enquanto examinava os pneus do seu caminhão, um objeto de aparência metálica, com uns 7 metros de diâmetro, manteve-se flutuando no ar, sobre o bosque, como se estivesse observando toda a operação. Em determinado momento, esse aparelho lançou um facho de luz, pelo qual desceram os três seres, utilizando-o como se fosse uma rampa.

Também sob hipnose, a descrição do interior do disco foi muito clara. Dionísio contou que ele tinha formato oval, com um grande painel que cobria todo o diâmetro interno. Em frente a esse painel, sentado diante de uma mesa coberta de instrumentos, avistou, ao entrar, outro dos estranhos seres. Um quinto tripulante observava uma tela  de cristal onde se via o céu estrelado. Dionísio descreveu em desenhos vários instrumentos semelhantes a televisores, onde apareciam estrelas coloridas. A única mulher da tripulação estava diante de uma das mesas de instrumentos e deu-lhe a impressão de funcionar como uma espécie de enfermeira.

Dionísio relembrou, sempre sob hipnose, que ao ser levado para o disco voador,  viu desprenderem-se dele duas mangueiras ou cabos flexíveis. Um deles mergulhou a extremidade na água do córrego e o outro a extremidade no cabo de alta tensão que atravessa o bosque.

Não percebeu quando o aparelho levantou vôo, levando-o. Lembra-se que a mulher tripulante começou a examiná-lo logo que ele entrou no disco. Contou também que ela trocou de luvas alaranjadas por outras, pretas, com pequenas seringas nas palmas. Ao tentar colocar uma dessas luvas sobre a fronte de Dionísio, a mulher provocou-lhe um hematoma no supercílio.

Quando o exame terminou, o disco lançou novamente o facho de luz, usando-o para depositar suavemente sobre o solo o motorista de caminhão. Ele foi deixado a 9  quilômetros do lugar onde parara afim de examinar os pneus. Estava entre os vagões estacionados perto de uma estação ferroviária.

Grande parte do que Dionísio Llanca revelou sob hipnose pôde ser confirmado pelos peritos policiais que investigaram o caso. Ao ser devolvido ao solo pelo disco voador, ele encontrava-se totalmente amnésico. Não sabia seu nome, nem onde estava. Começou a caminhar e logo avistou uma cidade. Não reconheceu Bahía Blanca. Passou por um posto de gasolina. O empregado do posto declarou que o viu às 2h45 da madrugada. Dionísio havia permanecido durante pouco mais de uma hora dentro do disco voador.

Continuou caminhando pela estrada completamente desorientado, até que o motorista de um automóvel levou-o a um posto policial. De lá foi levado a outro e pouco depois a um terceiro; pensavam que ele estava embriagado. Finalmente às 7h 30 da manhã, Dionísio foi levado ao Hospital Espanhol, em Bahía Blanca, onde foi recebido pela dra. Mabel Rosa Altaparro. Às 9 horas, chega o medico legista local, dr. Ricardo Smirnoff, examina Dionísio e ouve sua história, ainda confusa e incompleta, sobre as luzes no bosque e os três seres extraterrestres. Como não havia vaga no Hospital Espanhol, Dionísio foi levado para o Hospital Municipal, onde ficou até recuperar completamente a memória, 48 horas depois.

Julgando que os testes de hipnose eram insuficientes, a equipe de cientistas que examinou Dionísio Llanca resolveu submetê-lo a uma sessão de narcoanálise. Ele não fez qualquer objeção, ansioso por descobrir mais detalhes sobre tudo o que lhe acontecera. Confessou não estar certo de ter vivido uma realidade ou um sonho.

Foi Dr. Ricardo Smirnoff que, como medico legista, acompanhou todos os testes feitos com Llanca, quem lhe injetou pentotal na veia. Sob o efeito dessa droga, o motorista de caminhão repetiu tudo o que havia contado nas sessões de hipnose. Não cometeu contradição alguma.

O grupo de cientistas que investigou o caso foi encabeçado pelos três responsáveis pelo setor de Bahía Blanca da ONIFE (Organização Nacional de Investigação de Fenômenos Espaciais), dr. Agustín Luciano, professor da Universidade de La Plata e diplomado em Medicina Aeroespacial pela Universidade de Sorbonne; dr. Juan Antonio Pérez del Cerro,  presidente da Associação de Ontoanálise; e dr. Hector A. Solari, psicanalista. Participaram também do grupo o dr. García Del Cerro,  psicanalista; dr. Eduardo Mata, psiquiatra; dra. Norma Milano, psicóloga; e dr. Eládio Santos, hipnólogo da Universidade del Sur e professor adjunto da Universidade de Buenos Aires.

Dionísio Llanca foi submetido também a sucessivas baterias de testes para se avaliar a sua capacidade intelectual. Todos eles revelaram um nível de inteligência muito baixo. Segundo os doutores Hector Solari e Norma Milano, Dionísio é “incapaz de inventar e sustentar de forma coerente uma história tão complicada”.

Durante as diversas sessões de hipnose foi possível, sob a supervisão de dr. Eduardo Mata, reconstituir a aparência dos seres que seqüestraram Dionísio. Eles teriam pele branca, olhos oblíquos e grandes, sobrancelhas muito juntas, boca e nariz bem delineados e cabelos ruivos caindo até os ombros. Sua orelhas seriam maiores do que o normal em seres humanos. ( Essa discriminação coincide com as das velhas lendas indígenas dos Andes sobre a aparição de “seres ruivos de face resplandecente”).

Informados a respeito do detalhe registrado por Dionísio Llanca nos desenhos em que mostra o aparecimento do disco voador -  um cabo de alta tensão entre as árvores - os engenheiros do Debax ( Direccíon de Energía de Buenos Aires ) informaram que “no domingo , 28 de outubro de 1973, entre as 2 e as 3 horas da madrugada, subiu inexplicavelmente o consumo de energia elétrica em Bahía Blanca”.

A investigação sobre o caso ainda está em aberto. Certamente ainda há vários aspectos pouco claros, embora os que examinaram Dionísio Llanca sejam unânimes em afirmar que ele não mentiu, isto é: contou exatamente aquilo que julgou ser a verdade. Para aqueles que já estão convencidos da existência dos discos voadores e de seres extraterrenos, as provas do caso Llanca são definitivas. E, para os que não acreditam, demonstrar que elas são falsas será dificílimo, quase impossível.

 

Eu poderia ficar citando casos e fazendo transcrições de reportagens por uma infinidade de paginas, com pessoas ilustres ou das mais simples posições sociais; apelar para os governos e cientistas como vimos acima algumas reportagens, para chamar a atenção para esses fatos, mas não é esse o objetivo deste livro. Existem pessoas céticas, que  por mais simples que seja a explicação, elas vão procurar obstruir as provas e desacreditar o que é óbvio. Portanto os relatos Bíblicos, através da Historia, são a nossa maior prova de que estamos sendo assistidos e vigiados em todos os detalhes e atos que praticamos, pelos Anjos maiores e menores, bons ou rebelados, dentro de uma hierarquia que não podemos compreender ou entender no momento. Porque?  Porque temos dívidas a resgatar, no nosso passado de origem. Para passarmos a compreender e aceitar de maneira racional, compreensiva, a Grandeza do Universo, vamos ter que aceitar com humildade os relatos da historia como Jesus nos ensinou, para que possamos achar o caminho de retorno a esse Universo imenso  onde fica a nossa casa de origem e para uma Vida Eterna, em uma nova dimensão.

 

Concluindo este capítulo, fica esta declaração de Paulo:

 

 II aos Corintios - Cap.  12   Vers. 1  a  4  

 

1 Em verdade que não convém glorificar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor.

2 Conheço um homem em Cristo que há quatorze anos ( se no corpo não sei, se fora do corpo não sei: Deus o sabe) foi arrebatado até ao terceiro céu.

3 E sei que tal homem ( se no corpo, se fora do corpo. Não sei; Deus o sabe)

4 Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, de que ao homem não é licito falar.


 

 

Copyright © 2008, www.embuscadaverdade.com.br. All rights reserved.
Webmaster : J.E.S.